Pular para o conteúdo principal

Destaques

5 filmes que poderiam ter o novo disco do Arctic Monkeys como trilha sonora

Confira obras cinematográficas diferentes que combinam perfeitamente com a nova produção da banda

Westworld 2x04: A Imortalidade de Delos (e quem é o segundo híbrido?)

Finalmente Westworld respondeu muitas questões! Porém, como sempre no seu estilo próprio: com mais questões. Tentamos desvendar algumas delas

Atenção: este post tem spoilers

O que rolou nesse episódio? 
Voltamos para um episódio reflexivo com muitas revelações: Elsie está viva e Bernard se une a ela. Acompanhamos mais do passado e da jornada atual de Will com Lawrence, enquanto vemos um personagem inusitado ressurgir: Delos! Mas dessa vez como um híbrido entre anfitrião e humano. No final, ficou a grande dúvida: quem é o segundo híbrido? Arriscamos algumas teorias.
Westworld T2E4: A Vida Eterna

Maeister: Olá pessoas, eu sou o Maeister e a cada episódio eu acho o Will mais foda

Ana: E eu sou a Ana, que além de estar adorando o Will, tá morrendo de dó do Bernard

Maeister: Bom, esse episódio foi de grandes revelações né? Já quero começar falando da minha crush: ELSIE TÁ VIVA! AAAAAAAAAAAAHHHHHHH
Eu sabia que ela ia ter algum papel nessa história rs. Ninguém some assim a toa em Westworld. E pelo o que acompanhamos, o que levou o enredo nesse episódio  foi a relação dela com Bernard. E aí o que você achou?
(ps: tadinho do Bernard. Só se fode nessa série)


Ana: Eu ainda tô um pouco chocada com o episódio. Nem tanto pela volta da Elsie; da pra ver que ela foi introduzida já como se fosse esperado ela estar lá. O arco do Bernard, com o retorno da Elsie e a revelação tanto do Delos, quanto de que existe um segundo anfitrião com a mente de humano e como ele não pode confiar na própria mente... Isso foi uma tensão imensa. Porque a Elsie retornou, mas por quanto tempo? E quem é o que apenas tem a mente de um humano, mas a arquitetura de um anfitrião? É bastante incerteza que foi estabelecida, e eu mal posso esperar pra ver a resolução disso

Maeister: Imagina, aí é o Logan kkkkk tipo boss final

Ana: Nossa SIM, imagina se o Logan aparece do nada com o rostinho do Ben Barnes e a fdpice igual
Mas acho que não, pra continuar o tema de não conseguir encarar a realidade

Maeister: Resumindo: Westworld fez o que sempre faz - respondeu perguntas com mais perguntas kkkk.
Anyway, adorei a estrutura do episódio, que foi de ligar as pontas. Nos outros episódios acompanhávamos enredos aleatórios. Aqui tudo se juntou. A história do Bernard se ligou com a do Delos zumbi. A do Delos se liga com a do Will e o Will, por sua vez, fez a conexão com a nova personagem: a filha dele!!!
Eu consegui prever muitas coisas, ou pelo menos imaginar. Por exemplo: esse lance de imortalidade, é algo que eu me perguntava desde a primeira temporada. Mas sinceramente nem passou pela minha cabeça que a nova personagem poderia ser filha do Will.
No minuto final eu tava chocadasso. Me senti Alice (mas claro, a essa altura é super normal se sentir assim com Westworld)


Ana: Muito menos passou na minha cabeça, nossa. Eu deveria ter esperado, especialmente pelo sotaque e como ela conhece bem os parques. O que me faz pensar, entretanto, se ela não tá seguindo um pouco os passos do pai; ou estava, porque essa jornada do William pode transformar ela também. Agora, vamos falar sobre o flashback do Will vendo a esposa dele morta. Você acha que foi genuinamente que nem um anfitrião? Que foi só pra estabelecer como humanos não são muito diferentes do anfitrião?

Maeister: Explique melhor a sua pergunta, eu entendi, mas tô em dúvida se entendi certo rs

Ana: O flashback do Will, você acha que pode indicar que ele seja o anfitrião com mente de um humano, ou acha que é outra coisa?

Maeister: Aaahhhhhh, agora tudo faz sentido.
Não acho que seja o Will, se for, a história perderia parte da força. O Will representa o lado humano e serve de comparação o tempo todo com os anfitriões. Sem contar que ele está envelhecendo e como ele mesmo disse: "o mundo não precisa de alguém como eu".
Eu acho que esse flashback serve para primeiro confirmar que a esposa se matou (pois ainda pairava a dúvida no ar) e instigar para a próxima questão: por que ela se matou? Provavelmente aquela cena rápida da banheira faz parte de uma cena muito maior, com toda uma história mostrando o que de fato aconteceu. Talvez a esposa descobriu o que ele fez com o pai dela. Talvez ele tenha tentado reviver ela. Muitas dúvidas, mas eu não diria que o Will é o híbrido.
E você, o que acha?


Ana: Eu também não acho que seja o Will, mas eu não tenho ideia de quem seja também. Então eu não vou nem cogitar quem é. O que eu vou dizer tho, é que o flashback pra mim ainda não encaixou muito no contexto. Will lembrando da esposa morrendo implica que ele tá se identificando mais com os anfitriões, ao ponto de ver uma que ele tinha matado previamente e lembrar da esposa dele. Eu acho que suspeitei por um momento que ele fosse o híbrido porque eu achei esse momento um teco forçado. É algo que eu achava necessário pro Will, mas que precisava de um pouco mais de tempo pra acontecer

Maeister: Eu sinceramente estou inclinado a ir pro lado do que eu falei: essa cena é muito maior. Pois o Will fala do Logan, mas não temos nenhuma cena, e fala também da esposa do Delos, mas também não temos nenhuma cena. Claro, talvez ele não tenha presenciado as mortes, entretanto, depois de mostrar esse frame rápido do suicídio, o Delos questiona: "O que você fez com ela?". Não arrisco a dizer que ela é o híbrido, mas arrisco a dizer que o William fez alguma merda sim e é responsável de algum jeito pela morte da esposa - e isso por sua vez se interligará com alguma questão mais relevante dentro da história. De certo a filha dele deve odiá-lo ou algo do tipo e aquele encontro ali deles não foi casual e aleatório. Eles combinaram de algum jeito de chegar naquele ponto.
Bom, ainda fico na esperança de que o híbrido seja o Logan hahaha seria foda!

E o que você achou da relação com religião? Eu fiz um post sobre, mas agora senti isso de novo bem forte nesse episódio. Durante a fala do Delos pro Bernard, em que ele diz que sempre foi o diabo o Deus desse mundo, me arrepiei todo

Ana: Eu não costumo associar muito em termos religiosos; eu pensei mais no significado de vícios e virtude, mesmo. Mas diz bastante sobre o que causou o caos atual no parque, e como estava destinado a esse caos simplesmente pelos vícios, o lado ruim dos humanos
(eu tentei elaborar isso mas não deu muito certo-)

Maeister: Hahaha Ana, vá sem medo de elaborar pô. A graça disso é que é de boas a gente errar.
Mas enfim, acho que Westworld conversa de um modo diferente com cada um e esse tipo de analogia é bem aberta mesmo: da para interpretar de vários modos


Ana: Bom, queria dizer também que foi um episódio bem impactante sim, mas realmente as mensagens que queria passar foram bem explicadas dentro delas mesmas. Eu estranhei criarem a tensão e o suspense da Maeve estar no Shogun World e cortar pra esse episódio que não tem nada dela, mas o episódio foi forte o suficiente pra não ser um problema. E eu acho que a Emily estava procurando o Will? Essa foi a impressão que eu tive. Eu quero muito ver a dinâmica deles agora, especialmente lutando juntos!! E quero Shogun World no próximo episódio também, especialmente com o suspense estabelecido no ep 3

Maeister: Provavelmente a trama do Shogun vai ser mais ação e como Westworld tá trabalhando nessa variação, faz sentido continuar no próximo episódio. E é bom variar mesmo, se não o foco fica muito na Maeve e na Dolores. Mas realmente, tô bem ansioso. Tanto pelo Shogun World, quanto pela dinâmica da Emily com o Will! (obrigado por lembrar o nome dela rs)

Ah, esqueci de perguntar algo. Bom, como sempre vou dar a minha visão sobre e aí você completa com a sua:
Adorei a trama do William com o Lawrence! Eu citei no começo e até esqueci de falar dela (é tanta coisa gente...). Ficou parecendo que o Will tava sendo bonzinho, mas a meu ver, ele estava apenas entrando no jogo mesmo. Ficou meio implícito que ele teria que conseguir as suas forças como um jogador , não como uma pessoa de fora que ameaça com conhecimentos a mais. E foi isso que o William percebeu. MAS AÍ surgiu o Ford para falar: se você acha que só por que agiu bem eu vou passar o pano pra você, vai tirando o cavalinho da chuva! O jogo é maior que isso.
Aí ficou aquela dúvida se o Will agiu legitimamente por que se importou ou por que previu que o pessoal iria seguir ele. Por mais louco que possa parecer, eu acho que foi a primeira opçãol. O que você acha?

- Calma, eu meio q me contradisse kkkk
O que eu queria dizer é: ele tava entrando no jogo, mas não do jeito que o Ford pensou. Ele agiu legitimamente por emoção, mas ao mesmo tempo não é bobo. Meio que isso pode dar vantagens a ele, mas ele não vai obrigar ninguém a segui-lo


Ana: O William agiu genuinamente, mas pra mim ele só se iludiu, achando que era uma decisão 100% racional pra seguir o jogo do Ford. Quando a Emily chega, é quando estabelece que o jogo foi feito pro Will num nível emocional, e ele não consegue trapacear e manipular o jogo, pelo menos não tanto quanto ele quer. O que é muito interessante, porque o personagem do Will pode se desenvolver maravilhosamente no jogo, mas de uma forma interessante

Maeister: Então vamos ficar no aguardo, assim como o próprio Will, das surpresas que virão para ele (e sabe que eu não tinha sacado isso, de que agora sim é estabelecido que o jogo foi feito pra ele num nível emocional? Sensacional. Ford continua surpreendendo)

E essa foi o nosso debate/análise do quarto episódio de Westworld. Você está convidado a continuar essa conversa nos comentários! Enfim, esperamos que tenha gostado e até semana que vem :)

Nos siga nas redes sociais! Facebook e Twitter (e conheça o trabalho da Ana)

Postagens Relacionadas

Comentários

Postagens mais visitadas