Pular para o conteúdo principal

Destaques

O terror como punchline humorística em Get Out

O cinema tem como principal função apenas entreter, assim como qualquer outra forma de arte. Você pode dar "n" motivos para uma obra ser boa, mas se ela não entretêm, ela não serve para nada. Tendo isso em mente, eu sinto falta de um cinema um pouco mais descompromissado; eu sinto falta de contos e crônicas sinceras, coisas que só vemos em produções independentes que em sua maioria se quer chegam por essas bandas. Portanto, ver um filme como Corra fazendo sucesso tanto entre o público de nicho e o público geral, acabando por ser exibido com certa relevância, chega a emocionar. Não que isso automaticamente torne o longa bom, mas é que a sua proposta é tão simples e ao mesmo tempo tão cheia de nuances e propósitos, que é difícil não torcer para que dê certo. Corra deu certo e não só isso, é um respiro no gênero tanto de terror quanto de comédia. Ele não é inovador, mas a sua exótica combinação de gêneros culmina em uma história bem executada, sem a necessidade de ser megaloma…

7 filmes que abordam o bullying e a depressão

13 Reasons Why tem chamado a atenção do público e da crítica, mas o tema e a abordagem não são novos. Confira alguns filmes que também falam sobre o tema

Aos poucos, conforme a sociedade se expandia e voltava sua atenção para problemas antigamente tidos como pequenos, foi identificado um fenômeno social, popularmente hoje conhecido como Bullying. 13 Reasons Why, a nova série da Netflix, traz a tona esse tema, porém não é a primeira a abordar isso e - infelizmente - não será a última. Incrustado na sociedade americana, podemos ver esse fenômeno até mesmo em longas que não tem a intenção de lhe dar foco. Confira agora uma curta seleção que fizemos sobre esses filmes, alguns fora dos Estados Unidos, que de formas diferentes, contribuem para o debate:

ps: eles não estão em ordem de relevância e vale a pena pesquisar o tema além dessa lista.

1- Carrie, a Estranha

A adaptação do clássico livro de Stephen King foi lançada em 1973 e conta a história de uma excêntrica garota, Carrie, que desenvolve poderes paranormais. O problema é que Carrie se torna uma adolescente perturbada por conta dos abusos físicos e psicológicos sofridos pela mãe, tanto quanto dos seus colegas de escola. 
O longa consegue passar fielmente o drama paranormal da obra de King, que cresce gradualmente conforme a personagem se descobre e se revolta contra o mundo. É um relato brutal e cru, de como o contexto pode influenciar uma pessoa e impactá-la. Mais interessante ainda, é poder ver como ele pode funcionar de dois jeitos: 1) como obra fantasiosa de horror e 2) como obra que leva o bullying e suas consequências ao extremo. 

2- As Vantagens de Ser Invisível

Esse é um dos mais recentes: lançada em 2012, a adaptação do livro de Stephen Chobsky cativou a todos, tanto adultos quanto adolescentes. Focada muito mais na depressão do que o bullying (apesar de naturalmente a temática estar presente), As Vantagens de Ser Invisível conta a história de Charlie, um garoto de 15 anos que entra em um colégio novo por causa da morte de seu melhor amigo. O filme acaba por descrever a sua jornada de socialização e adaptação com a ajuda dos populares Patrick e Sam.
É muito interessante por ser uma história voltada para o público adolescente, mas com uma pegada totalmente crível e existencialista. Há diversas reflexões acerca da adolescência e contraponto a respeito da vida adulta e o meio social. Quem já teve depressão, principalmente ao sofrer com a pressão externa, consegue se identificar em cada cena e consequentemente, não se sentir tão "invisível".

3- Marcas do Destino

Baseado em uma história real, Marcas do Destino tem uma história peculiar: Rocky Dennis é um adolescente que tem uma rara doença que faz seu rosto ficar desfigurado, dando a impressão de que este usa uma máscara. O filme aborda a sua jornada, um tanto inspiradora, para enfrentar os preconceitos e a solidão. Vale a pena só pela atuação da Cher  e claro, pela proposta. Filmes de "autoajuda" tem de monte, mas não com algo tão exótico e ao mesmo tempo próximo de nós.

4- Let Me In

Talvez esse seja o mais diferente da lista. Além de abordar o bullying, Let Me In (em português Deixe-me Entrar) tem uma mistura bizarra de terror com fantasia. Na trama, Owen é um menino solitário que é perturbado por valentões, acabando por conhecer Abby. Só que Abby não é uma garota comum, mas uma vampira com idade indefinida que apenas tem a aparência de uma criança. A partir daí, o filme busca explorar a natureza humana do melhor (e mais excêntrico) jeito possível, construindo a relação dos dois.

5- The Class (Klass)

Voltando para os filmes com temática estritamente sobre violência escolar, The Class é um forte soco no estômago, que deve ser assistido com "certo preparo" emocional. Na produção Estôniana, Joosep é um garoto que atura os valentões de seu colégio. Cruéis, eles não medem esforços em degradá-lo todos os dias, até que de repente surge Kaspar, um garoto que sente empatia por Joosep e decide defendê-lo. Como se não bastasse ser uma história deveras dramática e pesada, o filme ainda é baseado em fatos reais, exponencialmente crescendo conforme as consequências dos atos dos bullies vem a tona. 
O longa não é americano, mas tem semelhanças com casos reais e atuais, como o Massacre de Columbine.

6- Koe no Katachi

Baseado no mangá de mesmo o nome, a adaptação cinematográfica foi lançada recentemente, no final de 2016, e tem chamado a atenção por conta da qualidade visual e principalmente por seu tema. Em Koe no Katachi conhecemos Nishimiya Shouko, uma garota surda que é intimidada por Ishida Shouya ao ponto de ter que mudar de escola. Entretanto, passado algum tempo, Shouya surge de novo em sua vida com um novo propósito.
Koe no Katachi é singular tanto no geral (ter como personagem uma surda), quanto para animações mesmo. Apesar do Japão ter, em sua maioria, obras introvertidas, a depressão e o bullying nunca são abordados explicitamente. De certa forma, é um tabu falar sobre isso e Koe, ao ser uma obra focado somente nesse aspecto, se sobressai e impacta.

7- Depois de Lúcia

Por fim, Depois de Lúcia já é uma história de bullying diferente por se passar no México. Alejandra fica abalada quando sua mãe, Lúcia, morre e para escapar da tristeza, muda junto de seu pai para a Cidade do México. O problema é que a adaptação à nova cidade e principalmente ao colégio não será fácil, pois a garota começa a sofrer abusos físicos e psicológicos.
O interessante desse longa é a perspectiva bastante realista, onde conforme Alejandra sofre, mais se distancia do pai, não conseguindo ver nenhuma saída para seus problemas. Mostra como quem sofre geralmente passa imperceptível sob o olhar geral das pessoas e muitas vezes não consegue se comunicar.

El Psy Congroo.

Postagens Relacionadas

Comentários

Postagens mais visitadas