Pular para o conteúdo principal

Destaques

Steven Universo: reflexões sobre o papel educacional de um desenho

Vivemos em um mundo de conflito, onde olhamos primeiro as diferenças e depois as semelhanças. Por essas e outras eu fico feliz de ter assistido quando criança desenhos que falavam sobre alguém excluído por ser diferente. E por causa disso acredito que Steven Universo, entre outros desenhos atuais, são mais do que recomendáveis para crianças e para qualquer um, pois eles possuem uma mensagem que pode potencialmente melhorar o caráter de alguém.

7 filmes que abordam o bullying e a depressão

13 Reasons Why tem chamado a atenção do público e da crítica, mas o tema e a abordagem não são novos. Confira alguns filmes que também falam sobre o tema

Aos poucos, conforme a sociedade se expandia e voltava sua atenção para problemas antigamente tidos como pequenos, foi identificado um fenômeno social, popularmente hoje conhecido como Bullying. 13 Reasons Why, a nova série da Netflix, traz a tona esse tema, porém não é a primeira a abordar isso e - infelizmente - não será a última. Incrustado na sociedade americana, podemos ver esse fenômeno até mesmo em longas que não tem a intenção de lhe dar foco. Confira agora uma curta seleção que fizemos sobre esses filmes, alguns fora dos Estados Unidos, que de formas diferentes, contribuem para o debate:

ps: eles não estão em ordem de relevância e vale a pena pesquisar o tema além dessa lista.

1- Carrie, a Estranha

A adaptação do clássico livro de Stephen King foi lançada em 1973 e conta a história de uma excêntrica garota, Carrie, que desenvolve poderes paranormais. O problema é que Carrie se torna uma adolescente perturbada por conta dos abusos físicos e psicológicos sofridos pela mãe, tanto quanto dos seus colegas de escola. 
O longa consegue passar fielmente o drama paranormal da obra de King, que cresce gradualmente conforme a personagem se descobre e se revolta contra o mundo. É um relato brutal e cru, de como o contexto pode influenciar uma pessoa e impactá-la. Mais interessante ainda, é poder ver como ele pode funcionar de dois jeitos: 1) como obra fantasiosa de horror e 2) como obra que leva o bullying e suas consequências ao extremo. 

2- As Vantagens de Ser Invisível

Esse é um dos mais recentes: lançada em 2012, a adaptação do livro de Stephen Chobsky cativou a todos, tanto adultos quanto adolescentes. Focada muito mais na depressão do que o bullying (apesar de naturalmente a temática estar presente), As Vantagens de Ser Invisível conta a história de Charlie, um garoto de 15 anos que entra em um colégio novo por causa da morte de seu melhor amigo. O filme acaba por descrever a sua jornada de socialização e adaptação com a ajuda dos populares Patrick e Sam.
É muito interessante por ser uma história voltada para o público adolescente, mas com uma pegada totalmente crível e existencialista. Há diversas reflexões acerca da adolescência e contraponto a respeito da vida adulta e o meio social. Quem já teve depressão, principalmente ao sofrer com a pressão externa, consegue se identificar em cada cena e consequentemente, não se sentir tão "invisível".

3- Marcas do Destino

Baseado em uma história real, Marcas do Destino tem uma história peculiar: Rocky Dennis é um adolescente que tem uma rara doença que faz seu rosto ficar desfigurado, dando a impressão de que este usa uma máscara. O filme aborda a sua jornada, um tanto inspiradora, para enfrentar os preconceitos e a solidão. Vale a pena só pela atuação da Cher  e claro, pela proposta. Filmes de "autoajuda" tem de monte, mas não com algo tão exótico e ao mesmo tempo próximo de nós.

4- Let Me In

Talvez esse seja o mais diferente da lista. Além de abordar o bullying, Let Me In (em português Deixe-me Entrar) tem uma mistura bizarra de terror com fantasia. Na trama, Owen é um menino solitário que é perturbado por valentões, acabando por conhecer Abby. Só que Abby não é uma garota comum, mas uma vampira com idade indefinida que apenas tem a aparência de uma criança. A partir daí, o filme busca explorar a natureza humana do melhor (e mais excêntrico) jeito possível, construindo a relação dos dois.

5- The Class (Klass)

Voltando para os filmes com temática estritamente sobre violência escolar, The Class é um forte soco no estômago, que deve ser assistido com "certo preparo" emocional. Na produção Estôniana, Joosep é um garoto que atura os valentões de seu colégio. Cruéis, eles não medem esforços em degradá-lo todos os dias, até que de repente surge Kaspar, um garoto que sente empatia por Joosep e decide defendê-lo. Como se não bastasse ser uma história deveras dramática e pesada, o filme ainda é baseado em fatos reais, exponencialmente crescendo conforme as consequências dos atos dos bullies vem a tona. 
O longa não é americano, mas tem semelhanças com casos reais e atuais, como o Massacre de Columbine.

6- Koe no Katachi

Baseado no mangá de mesmo o nome, a adaptação cinematográfica foi lançada recentemente, no final de 2016, e tem chamado a atenção por conta da qualidade visual e principalmente por seu tema. Em Koe no Katachi conhecemos Nishimiya Shouko, uma garota surda que é intimidada por Ishida Shouya ao ponto de ter que mudar de escola. Entretanto, passado algum tempo, Shouya surge de novo em sua vida com um novo propósito.
Koe no Katachi é singular tanto no geral (ter como personagem uma surda), quanto para animações mesmo. Apesar do Japão ter, em sua maioria, obras introvertidas, a depressão e o bullying nunca são abordados explicitamente. De certa forma, é um tabu falar sobre isso e Koe, ao ser uma obra focado somente nesse aspecto, se sobressai e impacta.

7- Depois de Lúcia

Por fim, Depois de Lúcia já é uma história de bullying diferente por se passar no México. Alejandra fica abalada quando sua mãe, Lúcia, morre e para escapar da tristeza, muda junto de seu pai para a Cidade do México. O problema é que a adaptação à nova cidade e principalmente ao colégio não será fácil, pois a garota começa a sofrer abusos físicos e psicológicos.
O interessante desse longa é a perspectiva bastante realista, onde conforme Alejandra sofre, mais se distancia do pai, não conseguindo ver nenhuma saída para seus problemas. Mostra como quem sofre geralmente passa imperceptível sob o olhar geral das pessoas e muitas vezes não consegue se comunicar.

El Psy Congroo.

Postagens Relacionadas

Comentários

Postagens mais visitadas