Pular para o conteúdo principal

Destaques

Steven Universo: reflexões sobre o papel educacional de um desenho

Vivemos em um mundo de conflito, onde olhamos primeiro as diferenças e depois as semelhanças. Por essas e outras eu fico feliz de ter assistido quando criança desenhos que falavam sobre alguém excluído por ser diferente. E por causa disso acredito que Steven Universo, entre outros desenhos atuais, são mais do que recomendáveis para crianças e para qualquer um, pois eles possuem uma mensagem que pode potencialmente melhorar o caráter de alguém.

[Indies que você tem que jogar] Terraria

Terraria nem é um jogo tão desconhecido assim, aliás por um tempo até chegou ao top 5 dos jogos mais vendidos no Steam, foi lançado em tudo que é plataforma que existe e até hoje tem uma fanbase grande que ainda o joga. Porém, sempre que vou ver vídeos sobre game design, nunca encontro nenhum mencionando Terraria! Acho isso muito estranho porque aos meus olhos Terraria é um dos indies mais importantes já feitos. Venha comigo descobrir o porquê:


Do que se trata Terraria? Em termos muito genéricos é Minecraft 2D, mas essa é uma comparação que não avalia em que ponto os dois jogos se distanciam e porque. A base desse tipo de jogo é: você nasce em um mundo vasto no qual você tem a capacidade de remodelá-lo a sua vontade e é preciso juntar recursos para sobreviver, o que inclui produção de comida, construção de armaduras, armas e alguns consumíveis. No Mine o objetivo do jogo é construir um portal para o Inferno, juntar recursos suficientes para enfrentar a jornada que é esse lugar, encontrar o dragão chamado The End e matá-lo. Fazer isso demora muito tempo, porque se não me engano, você vai precisar de flecha para cacete, além de outras coisas como armadura de diamante e por aí vai. Não pensem que não gosto de Mine, só acho ele superficial sem mods, com o tempo você fica preso num loop de cavar e farmar recursos muito demorado e após matar o The End acaba sua campanha no jogo, o que é uma campanha vazia e repetitiva. Por isso que muitos falam que o Mine é um jogo feito para você construir e a campanha está em segundo plano. Terraria é o contrário, a construção existe, mas sua campanha é extensa e oferece muito mais conteúdo que a versão vanilla de Mine.

Terraria adotou vários elementos de RPG como parte central de seu gameplay. A quantidade de armas, armaduras, biomas, poções, acessórios, decorações e por aí vai, são muito maiores do que em Mine. É por isso que depois de jogar Terraria percebi porque eu nunca dei muita pilha para o jogo que fez a carreira de tantos youtubers brasileiros. Eu jogava um pouco de Mine, me cansava e parava, porque a versão vanilla não tem uma gama tão diversa de conteúdo a oferecer. Vamos exemplificar um pouco melhor: em Terraria os sets de armadura quando completos, além da defesa total, também dão um certo bônus para você, tem sets que aumentam o dano de consumíveis como shurikens, dão um efeito de defesa aumentada, te fazem ficar invisível, invocam um guardião que te segue e tem uma espécie de golpe que puxa os inimigos para ele e um que faz você não gastar mana. Sim, esse jogo tem mana e armas que funcionam como spells, além de que depois da metade do jogo os sets se dividem em ramos para classes especificas, se você fizer o set de guerreiro vai ganhar mais defesa e dano físico (as classes são guerreiro, mago, arqueiro e invocador). E também temos os acessórios que dão efeitos diversos, desde a eliminar efeitos negativos como veneno, como a fazer você correr, asas que te permitam voar pelo mapa, escudos que fazem cair estrelas quando você toma dano ou aumentam seus frames de invulnerabilidade e até uma sacola de yoyo que duplica o efeito deles quando você os usa. Agora no tempo que passei jogando Minecraft eu só tinha uma espada e um arco como armas.

Ser 2D permitiu que o jogo fizesse relação com outro tipo de jogo que eu gosto desde que me conheço como gente: Metroidvania. Ao olhar o mapa do jogo depois de horas de exploração, eu lembrava dos castelos de Castlevania e ficava pensando e analisando os caminhos que eu fiz e aonde eu iria agora. Além de que justamente por ser 2D, implementar esses recursos que não tinham em Mine se tornou algo mais fácil, e são muitos recursos, eu não cheguei nem perto de falar de todos, como as montarias e os vanities, que são roupas cosméticas que você usa para customizar a aparência do seu personagem, além de uma variedade grande de inimigos separados por bioma, por exemplo: no inferno tem demônios, na selva tem tartarugas insetos e abelhas, na neve tem golens de gelo.


E a campanha do jogo que eu disse que era melhor, do que se trata? Basicamente Terraria possui uma premissa genérica que nunca é explorada porque o jogo não se preocupa muito com a história. Terraria é o nome do mundo, um mundo que está sendo invadido por criaturas de fora do planeta e até de outros dimensões e sua missão seria livrar o mundo desses seres. A premissa é uma mistura de fantasia genérica com terror cósmico, pois muitos dos bosses são partes de Cthulhu, sendo o último boss uma interpretação do próprio Cthulhu.

Em termos de gameplay existe uma série de bosses que possuem alguns pré-requisitos para serem derrotados, como conseguir armaduras mais fortes para aguentar o trancos e armas boas para derrota-los, a campanha inteira se desenvolve em volta dessa ideia que é similar ao The End de Mine, porém com muitos mais inimigos para você enfrentar. Os bosses são espalhados pelo mapa de forma a fazer você explorar e conhecer o seu mundo gerado aleatoriamente. Por exemplo, para matar a Queen Bee você tem que entrar na Selva e procurar colmeias escondidas no subterrâneo. O Eater of Worlds e o Brain of Cthulhu se encontram em áreas do jogo corrompidas por forças malignas conhecidas como bioma de Corruptions e Crimson. Crescer no jogo meio que te obriga a conhecer todos os biomas e suas particularidades, um dos objetivos é até construir seus próprios biomas.


E até a construção no jogo tem um motivo prático, diferente de Mine que era quase que totalmente visual. As casas que você faz servem para chamarem NPCs para o seu mundo, com o tempo você se torna o dono de uma cidade própria praticamente, cheia de mercadores com os itens mais diversos que serão necessários se você quiser continuar sua jornada de forma decente.
Mas o que exatamente faz Terraria ser bom? É um jogo complexo, então sinto que faria um desserviço se não tentasse pelo menos dar uma ideia do que você faz no jogo. Mas falando mais sobre design puro, o que me vem a mente é a valorização das escolhas do jogador. Minecraft começou essa ideia e Terraria a expandiu, que é basicamente permitir que você jogue o jogo da forma que você quiser. Parece simples, mas permitir liberdade a ponto de você moldar o mundo inteiro a sua vontade, é algo que poucos jogos fazem. Por exemplo, encontrar um inimigo ou derrotar um boss é uma situação que esse tipo de design permite que você lide de diversas formas diferentes, eu poderia enterrar o inimigo, construir paredes entre ele e eu, passar o yoyo pela parede enquanto ele não me acerta, me prender no teto e matar na flecha, jogar bombas, fazer o inimigo cair num buraco, deixar meu pet matar ele para mim ou usar um spell que atravessa a paredes, isso só para lutar com um inimigo. Não se resume a liberdade no sentido de exploração, mas praticamente todos os aspectos do gameplay são customizáveis de acordo com suas preferências, e enquanto Mine era bem superficial nisso, Terraria oferece muitas opções o que faz essa postura de design brilhar muito mais.


Era uma sensação nova para mim olhar para o mapa, ver minha cidade feita para proteger os NPCs, as valas que eu cavei para os monstros caírem e pensar "esse é meu mundo e eu sou responsável por tudo que há nele". Se você jogar com amigos se torna um mundo coletivo, no qual suas ideias são transmitidas entre vocês pela forma como vocês jogam. O que torna o jogo muito mais interessante, porque com meus amigos eu cheguei a descobrir formas novas de lidar com o jogo que eu provavelmente não pensaria sozinho.

Mas nem tudo são rosas, se eu tivesse que criticar algo nesse jogo seria a sua falta de introdução para jogadores novos. Terraria é um jogo que depende muito de uma wiki completa, coisa que está disponível em inglês, além de muita paciência em seu início que é lento e repetitivo. Isso pode afastar jogadores novos facilmente que irão se perder no início do jogo pois Terraria NUNCA se preocupa em te explicar direito o que você deveria estar fazendo, é uma experiência rica e complexa, mas inicialmente pode parecer um jogo chato e sem nada por causa desse começo lento.


Terraria juntou quase tudo que hoje em dia eu valorizo num jogo, customização, valorização das suas escolhas como jogador, exploração, elementos de RPG, multiplayer e talvez o aspecto mais importante é que ele evidencia uma característica constante entre os indies. Terraria mostra que é possível fazer muito com pouco, o conteúdo que um jogo oferece não deve ser limitado por recursos disponíveis em sua produção, isso fica cada vez mais claro quando vejo notícias falando que Stardew Valley vendeu mais que o novo Call of Duty no Steam

Eu poderia estender muito esse post falando de cada bom aspecto que vi, além de alguns que eu apesar de ser fã do jogo acho muito ruins, porém meu objetivo era divulgar essa gema - então você tem que jogar Terraria!

Only darkness will remain.

Postagens Relacionadas
Nos siga nas redes sociais! Facebook e Twitter

Comentários

Postagens mais visitadas