Pular para o conteúdo principal

Destaques

Steven Universo: reflexões sobre o papel educacional de um desenho

Vivemos em um mundo de conflito, onde olhamos primeiro as diferenças e depois as semelhanças. Por essas e outras eu fico feliz de ter assistido quando criança desenhos que falavam sobre alguém excluído por ser diferente. E por causa disso acredito que Steven Universo, entre outros desenhos atuais, são mais do que recomendáveis para crianças e para qualquer um, pois eles possuem uma mensagem que pode potencialmente melhorar o caráter de alguém.

Game of Thrones 6x10: Leia três opiniões diferentes sobre o último episódio da temporada (parte 2/2)

<<< Leia a parte 1 >>> 

O maniqueísmo brega de Game of Thrones
(por Maeister)

Comentários Gerais

Cá estou eu de volta para comentar mais um episódio de Game of Thrones, dessa vez o último da temporada. Sendo direto e sincero, eu esperava algo de qualidade - geralmente, os piores episódios haviam sido ali no miolo, algo comum em séries. Não vou dizer que este último episódio não foi de qualidade, mas foi aquela coisa: um selo ok. Com certeza os fãs se descabelaram, mas Game of Thrones enquanto narrativa, caiu significativamente, pendendo para o clichê - o diferencial da série não era esse? Ir contra a comum estrutura narrativa da jornada do herói e subvertê-la para dar profundidade e humanidade aos seus personagens?

COMENTANDO GAME OF THRONES

Treta em Porto Real (parte final final)

Nos primeiros episódios, Porto Real começou mediano e até tediante. Mas aos poucos a trama foi crescendo bastante. Eu esperava mais desse núcleo em termos de ação, acredito que o orçamento tenha influenciado (qualé, queria ver Montanha matando vários fanáticos), mas no geral foi muito bom - tanto que se tornou uma história completamente paralela, que influenciou só o entorno de Porto Real. Se você tem um olhar atento, sabe que GoT não faz isso - geralmente tudo influencia em outras coisas, como um efeito dominó.
Enfim, houve uma dramatização interessante, bem direta, sem exagero. Cersei sempre foi louca, entretanto, as tretas que passou a transformaram em um monstro; não esperava nada diferente dela. Ao todo, até na cena mais surreal, a história foi extremamente previsível, mas o que valeu nesse núcleo foi a exuberante execução. Todos os personagens avançaram, mesmo que para a morte. Foi triste ver Margaery morrendo, ela parecia ter um plano mirabolante em mente, porém foi lindo demais saber que o Pardal Malafaia se foi. Analisando criticamente, esse enredo todo não teve muito sentido, sem pé nem cabeça mesmo, MAS pelo menos serviu para desenvolver a Cersei, enquanto muitos núcleos, como o da Arya, se encerraram de forma superficial, sem acrescentar em nada ou muitas vezes regredindo.
A profecia se cumpriu, todos os filhos morreram, o septo explodiu, o véio Pycelle se fodeu e agora a Lannister é rainha. Se o episódio fosse só esse núcleo, talvez classificasse como 8/10. Mas teve mais, muito mais.

A vingança de Arya
"a felicidade na cara de quem se teleporta"
Visto tudo o que a personagem tinha passado, foi gratificante como fã ver isso. Mas foi uma vingança fraca, que não acrescentou em nada na trama e muito menos completou sua jornada. Negligenciaram tanto a Stark, que não houve importância: parecia uma fanfic qualquer. A trama de Braavos se revelou inútil e de repente Arya estava lá nas Gêmeas, matando o Waldinho. Podem argumentar que a passagem de tempo entre os núcleos é diferente, mas mesmo assim, isso se configura em um defeito. A produção tem que deixar claro os momentos, PRINCIPALMENTE por ter tantos núcleos - se não, fica uma confusão louca. Não tem coerência nenhuma Sam e Brienne passarem diversos episódios viajando, enquanto outros personagens simplesmente se teleportam. Pode aplicar a lógica que for, enquanto narrativa, isso é um defeito. É muito fácil mover os personagens de um lado para o outro de acordo com a necessidade. Uma história tem sérios problemas quando o idealizador transparece mais do que os próprios personagens. Se não pode fazer determinada coisa, não faça. Qual a necessidade da Arya matar os Freys? Tem mais duas temporadas para a série acabar, poderiam ter dado uma atenção maior para sua jornada em Braavos e encerrar a temporada com o fim desse núcleo. Pra quê correr tanto?

Davos descobre o que Melisandre fez. E daí?

Okay, agora isso foi demais. Em um surto de Sherlock Holmes, Davos de repente descobriu toda a verdade sobre a morte de Shireen. Como? Eu não sei, pois isso não foi apresentado. Ele simplesmente encontrou nos restos de uma fogueira (que foi acesa há sei lá, um mês e estava abarrotada de neve) o boneco que tinha dado para ela e pronto. Descobriu tudo! Vai ver ele é o Senhor da Luz e a gente não sabe.
E qual o sentido de você confrontar a mulher depois de um mês? No momento da discussão ele parecia nervoso. Davos é um homem honrado, será que ele esperaria tanto tempo só para assegurar que ganhariam a batalha e Melisandre serviria como um estepe para ressuscitar uns manos? - muitas perguntas, poucas respostas. Talvez a alternativa seja, de novo, a passagem de tempo. Mas aí, mais uma vez, qualifico como falha - a não ser que a confusão seja intencional, não faz sentido esse ritmo. Os núcleos em Game of Thrones sempre foram paralelos, agora de repente um decorre a trama de vários dias, outro de algumas horas. Se não deixarem claro certas coisas, isso se torna um problema - aliás, já é.

E quando todo mundo tinha esquecido, Dorne volta (pra fechar com chave de bosta)

Eu estava tão feliz com o sumiço de Dorne, que tinha até esquecido. Mas resolveram trazer de volta esse incrível núcleo (sqn) para complementar as coisas de acordo com o que a narrativa necessitava. Como e por que se realizou o contato de Olenna com as Martells? Ninguém sabe e pelo visto não é importante - ela simplesmente está lá dialogando e pronto. Do nada, surge Varys, para que? Sei lá, mas ele tá ali, pra fazer carão e contar fofoca (ah sim, representar a deusa dos dragões). Até aqui, achei meio surreal demais - depois então, ficou uma bagunça. E esse depois se chama Daenerys.

Adeus Meereen

Nunca me importei com o Daario enquanto amante da Daenerys. Para mim ele sempre foi isso: um simples amante; amigo para sexo casual. Não entendi nenhum pouco essa dramaticidade em torno do relacionamento dos dois. A Dany, ao conversar com o Tyrion, falou que não sentiu nada quando se despediu - lógico, por que não tinha nada!
Bom, indo mais adiante, temos um interessante diálogo entre o anão e a Khaleesi. Percebam como é forte a química entre Emilia Clarke e Peter Dinklage - a atuação dos dois é que salva a cena de não se tornar um clichê completo. Mesmo assim, tudo foi pro espaço. Tyrion se tornou um maldito devoto da Daenerys. Entendo ele ficar do lado dela e apoia-la, mas se tornar devoto? Justo ele, que viu de perto as merdas que a moça fez e sabe muito bem que a moral é relativa. Vamos pensar profundamente? Destruindo o exército dos Mestres, quantas pessoas inocentes, que estavam ali por obrigação, que tinham famílias, Daenerys matou? Quantos escravos? Pois é, nada é tão preto no branco. Vai ver por isso que Jesus era pacífico. Como exigir "paz" por meio de sangue, fogo e violência? Essa jornada da Targaryen já não faz sentido nenhum, a não ser, claro, juntar os personagens "fodelões". "Ui, será que a Dany vai ficar com o Jon?", sei lá, sou mais Bella e Edward, foi mal.

E para completar tudo isso, no momento final, aquele derradeiro momento badass para fechar o núcleo, surge Varys ao lado. Oi? Eu sei que tem uma explicação, de novo, das várias linhas cronológicas. Mas cara, ficou feio, ficou brega, ficou estranho e sim, é um defeito. Por mais que haja diversos núcleos, ainda é uma mesma história e você não pode ficar jogando personagem a torto e a direita, de acordo com a necessidade. Devo repetir? Se não pode fazer algo, não faça. Não concretize uma relação de guerra em dois segundos. Mas foda-se né? O que vale é a emoção.

Torre da alegria? Tá mais pra depressão

Esqueceram o Bran durante uma temporada. Ok, acabei relevando por conta da interessante trama que estava se formando durante essa season. Agora resolveram usar o moleque para contar as histórias das fanfics. PQP Que merda.
Erroneamente eu pensei que estavam direcionando o Jon de volta para o rumo da história, em que ele não é herói porra nenhuma, apenas mais um personagem cheio de problemas. Mas eu estava errado e muito errado. A "revelação" (que todo mundo sabia) veio para corroborar as suspeitas dos fanboys. Sim, fanboys. Me diz, se você não for um fã de Game of Thrones e só acompanha a série (sem ler os livros), iria entender ou sentir toda a emoção (forçada) da cena na Torre da Alegria? E tipo, não há nenhuma prova concreta de que Jon é um Stark, quem poderia dizer isso era só Ned - você acha mesmo que alguém vai acreditar na palavra de um aleijado que fica tendo altas visões quando toca em árvores? Puro fanservice e para completar, ainda dão uma zoada - não confirmaram se o rapaz é Targaryen mesmo. Aliás, quase não confirmaram que ele é um Stark, tiveram que colocar uma passagem entre ele criança para adulto - PRA FICAR BEM CLARO! - "Galera, caso vocês não tenham entendido, ele é o herói!"

ps: e caso você ainda NÃO TENHA ENTENDIDO que o Jon É MESMO Targaryen, a HBO divulgou um infográfico.

O norte se lembra

Havia tantos rumos que poderiam dar para os Starks, mas decidiram seguir o clichezão da jornada do herói. Eu queria estar errado quando comentei a volta do Jon Snow, mas infelizmente estava certo! A série se tornou maniqueísta. Como um cara, que sinceramente, não é porra nenhuma, se livra tanto da morte? "hurr durr é o Azor Ahai". Sabe o que parece? As ideias superficiais, aqueles divagações em bloco de notas, do senhor Martin. Algo que provavelmente não vai rolar no livro ou acontecerá de forma MUITO diferente. Que porra é essa de comemoração? Os caras se esconderam na hora da guerra, aí vem uma criança, fala umas verdades e todos resolvem adorar o Snow? Aliás, se os caras não ouvem nem mulher (muito menos mulher), vão ouvir uma garotinha? Por favor né migos, aí é apelar demais. Jon imortal na guerra é até passável, agora exaltação clichê é demais. Puta que pariu, episódio fanfic total. Faltou o Robb ressuscitar pra rolar uma pegação yaoi.
E o Mindinho? O cara passou de grande manipulador para um adolescente xonadinho. Sem palavras; sério. Faltou a Arya aparecer também e todo mundo ficar feliz, chorando enquanto se lembra do papai e da mamãe que foram embora e viraram estrelinha no céu.
Ou talvez, Lyanna Mormont seja Tyrion disfarçado, depois de um intenso treinamento como um sem rosto; por isso é tão madura e fala tão bem. Quem sabe? Pode ser o próprio Jaquen.

CARA, colocaram até a música tema de fundo. MEO DEUS, que brega. Vergonha alheia total.

Conclusão

Game of Thrones já não é As Crônicas de Gelo e Fogo há muito tempo. Desde a quinta temporada, virou a maior fanfic que o mundo já viu e isso é incrível. Olha só gente, é um novo passo para o reconhecimento legítimo da produção dos fãs. Quem diria hein?
Deixando a zuera de lado, realmente me decepcionei. Não esperava tamanho maniqueísmo e descaracterização dos personagens - e olha que estou falando sobre isso de forma superficial, se formos entrar em detalhes, a coisa fica muito feia. Para se ter ideia, dá uma olhada nesse post do Game of Thrones Brasil, quando ainda nem havia sexta temporada.
Mais um ano se passou e mais uma vez fui enganado pelos produtores. Por um momento, cheguei a pensar que fariam algo de qualidade (em termos de roteiro) levando em conta o tom cinza, característico da história. Ledo engano. Não sei se volto para comentar a próxima temporada, talvez volte apenas para esculachar mesmo - mas enfim, é triste ver uma série tão boa se tornar refém dos próprios fãs.
Será que estou ficando louco? Provavelmente.

El Psy Congroo.

<<< Leia a parte 1 >>> 

<<< Leia os comentários de todos os episódios >>>

Comentários

Postagens mais visitadas