Pular para o conteúdo principal

Destaques

O terror como punchline humorística em Get Out

O cinema tem como principal função apenas entreter, assim como qualquer outra forma de arte. Você pode dar "n" motivos para uma obra ser boa, mas se ela não entretêm, ela não serve para nada. Tendo isso em mente, eu sinto falta de um cinema um pouco mais descompromissado; eu sinto falta de contos e crônicas sinceras, coisas que só vemos em produções independentes que em sua maioria se quer chegam por essas bandas. Portanto, ver um filme como Corra fazendo sucesso tanto entre o público de nicho e o público geral, acabando por ser exibido com certa relevância, chega a emocionar. Não que isso automaticamente torne o longa bom, mas é que a sua proposta é tão simples e ao mesmo tempo tão cheia de nuances e propósitos, que é difícil não torcer para que dê certo. Corra deu certo e não só isso, é um respiro no gênero tanto de terror quanto de comédia. Ele não é inovador, mas a sua exótica combinação de gêneros culmina em uma história bem executada, sem a necessidade de ser megaloma…

[Impressões] Salem e as bruxas demoníacas

Salem é um seriado que estreou em 2014 no canal WGN, criado pelos roteiristas Brannon Braga e Adam Simon. Tendo como enredo a cidade Salem (Massachusetts) no século XVII, a série trata-se sobre inquisição, bruxaria e romance, tendo como atriz principal. 


Janet Montgomery

e o ator Shane West

Tudo começa na pequena cidade de Salem, na época uma cidade governada por George Sibley, um descendente dos fundadores que herdou a responsabilidade de cuidar do lugar – ou seja, ele tem o poder de mandar e desmandar. Sendo assim, George acaba promovendo uma caça às bruxas, enforcando quem ele acha conveniente.
A personagem Mary Sibley aparece no primeiro episódio como alguém inocente e ingênua. A primeira fase dela no primeiro capitulo é de fato muito interessante, ela é alguém que se mostra apenas como uma camponesa obedecedora das leis, que está prestes a perder o amado, que é o personagem Jonh Alden. Alden está indo para a guerra - para quem não sabe, naquela época houve muito genocídio contra os índios. Os norte-americanos lutavam por territórios contra os indígenas que já vivam ali. 
Ele de fato é um personagem muito importante, pois tem sua própria opinião, diferente dos outros cidadãos. Ele acha que os enforcamentos e caça às bruxas deviam parar. Porém, Jonh Alden foi embora e Mary Sibley foi obrigada a casar com o magistrado após abortar seu filho, pois naquela época era uma vergonha muito grande as mulheres serem mães solteiras. Mas para que ela obtivesse um grande poder sendo a primeira dama da cidade, além do aborto, ela virou uma bruxa.

É muito interessante a fase de transformação que esta personagem sofre, sendo de fato o que mais atraí o público. E dessa vez nada de bruxas boazinhas, é verdadeiramente o puro pacto com o tinhoso, digamos assim.
Quem a leva para este caminho é sua escrava Tituba (Ashley Madekwe)


Que também é uma bruxa claro.

George Sibley
Anos depois você vê George Sibley totalmente dominado pela Mary, com uma magia muito insana que é colocar o saco na boca do coitado. Nunca vi um personagem sofrer tanto na vida pagando seus pecados como o George Sibley, pois com sua '' deficiência'', Mary acaba dominando a cidade de Salem para realizar o grande mito que seria a volta do tinhoso para viver entre os humanos, gerando um grande caos.

Temos também outros personagens, como o Magistrado Hale, com um cargo importante na cidade e sua filha Anne Halecuja, que descobre mais tarde ser bruxa por descendência do Pai, que também é um bruxo de sangue, ou seja, não precisou entregar literalmente a alma ao Satan, como Tituba e Mary.
Anne Hale e o Magistrado Hale

Por fim, o Cotton Mather que é um padre especializado em bruxaria, nem desconfia que as bruxas existem em Salem. Ele não é muito respeitado, pois é totalmente contraditório em sua religião (pratica o fornicamento, bebedice, etc...). Mesmo assim, também é um personagem que se torna essencial para desvendar os mistérios que prendem a cidade.
Cotton Mather

Para concluir, eu super recomendo. É um seriado diferenciado dos que temos hoje em dia; com ele você vai poder entender alguns contextos históricos, até por que essa série se baseia no julgamento de duas mulheres que realmente foram enforcadas por bruxaria. Pega também um pouco de suspense e o figurino é esplendido, vale a pena assistir. 

Para quem teve curiosidade vou deixar o trailer abaixo:

 

Comentários

Postagens mais visitadas