segunda-feira, 22 de junho de 2015

Brasileiro não sabe discutir

Quem usa redes sociais, seja Facebook ou Twitter, deve perceber o nível de politização que tem assolado o Brasil. É Dilma pra cá, PT pra lá. Até mesmo em postagens que nada tem haver, sempre surge alguma piadinha comparando com a situação catastrófica que teoricamente vivemos. Não acho ruim nada disso, na verdade, fico maravilhado - é deveras difícil um ser normal, comum, parte da massa, saber em quem vota, quanto mais criticar. Acho incrível esse Brasil politizado, coisa a qual a tecnologia nos deu a oportunidade de presenciar, onde todos dão a sua opinião e debatem assuntos diversos. Enfim, só o fato disso acontecer, já é grande coisa.
Ok. Tudo muito bonito. Agora temos um país politizado, isso quer dizer um país mais inteligente? Definitivamente não. Quer dizer que uma das portas de acesso ao conhecimento foi descoberta, mas mesmo tão perto dela, ninguém sabe como abri-la.
Constatei uma coisa: brasileiro não sabe discutir. Quaisquer pessoas que tenham trocado opiniões diferentes, sabem que existe uma linha tênue entre a briga e o debate. Essa linha divisória é invisível, mas pode ser vista: ela está nas palavras e gestos; na comunicação em si.
Ou seja, o cidadão médio brasileiro, com tantos filhos e tantas contas pra pagar, descobriu a discussão, mas não sabe discernir o que é briga. É como duas irmãs gêmeas idênticas, só que uma durante a adolescência ficou feia e a outra preserva a boa aparência.

A figura mais próxima que me lembro para exemplificar o que é discussão, é Sócrates. O método socrático exemplifica tudo o que é um debate: o filósofo tinha o hábito de ir no centro de Atenas e parar as pessoas, principalmente os tais intelectuais, perguntando sobre diversos assuntos. Conforme decorria a conversa, Sócrates usava da ironia, se fazendo de ignorante e perguntando cada vez mais. Suas perguntas acabavam por destruir aquilo que o outro acreditava. Quando a pessoa reconhecia sua ignorância, o filósofo então propunha pensarem e assim, dessa vez juntos, formariam um novo conceito sobre o assunto - este conceito, seria mais forte; melhor embasado.
Em suma, discutir consiste em as duas partes colocarem em pauta seus conceitos e assim, uma à outra, se questionarem, para então, juntas, chegarem a um consenso ou algo parecido.

Agora me diz, o que é brigar? Acho que todos sabemos bem o que é, mas mesmo assim vou definir. Brigar, seja fisicamente ou verbalmente, é ir de contra ao outro com a intenção de prejudicar; sobressair-se. Percebeu a diferença? Na discussão o que se está contrapondo são as ideias, nunca as pessoas. Essas pessoas, por sua vez, tem o objetivo inicial de colocar em pauta os conceitos que acreditam - é como um teste, ali você coloca frente ao outro o argumento pronto para ser analisado. Diante disto, quando os testes dão errado, o que os cientistas fazem? Aprimoram, para então tentarem outra vez.
Ao contrário da visão comum, o outro argumentador ou debatedor, não é um oponente, mas sim um companheiro. Ele é a máquina que testará os conceitos que acredito. Se percebo incoerências, devo tratar de tentar entendê-las ou reconhecer o erro.

Na briga não existe nada disso - esta sim funciona por oponentes. Simplesmente a pessoa acredita em uma coisa e ai de quem discordar. Não importam os argumentos, não importam os questionamentos - a minha visão é suprema e pronto. É dessa problemática entre debate e briga, que surgem a maior parte dos conflitos familiares. Pais não sabem o que é uma discussão.

O que sucede-se nas redes sociais é um simples vômito de opiniões e nada mais.
"O PT é um partido interessante, que inseriu algumas ideias muito boas em nossa sociedade"
- insira aqui uma piada.
- um xingamento
- outro xingamento
- mais outra piada

A briga se caracteriza pelo o ataque ao oponente. Na maior parte da vezes não existe "troca de opiniões" e muito menos questionamento, apenas ações e criticas ao ser e não à ideia. O brasileiro tenta de todas as formas atestar a burrice do outro e assim, a sua superioridade. "Olha que idiota, ele apoia o PT", pronto. Isso te faz mais inteligente.
Enfim, o individuo acha que ganhou a discussão, coisa a qual nunca existiu. Apenas uma ilusão de debate, pois já dizia Sócrates: "só sei que nada sei". A superioridade não existe. Em um verdadeiro debate, não existem ganhadores.

A forma como ocorre a tal "politização", só demonstra o nosso nível educacional: não sabemos nem como perguntar, imagina encontrar as respostas!

Mas aí eu parei para refletir: talvez eu esteja observando errado. Brasileiro não quer debater, apenas acreditar.



El Psy Congroo.
Seja o primeiro a comentar.

Postar um comentário