Pular para o conteúdo principal

Destaques

Conversa Paralela #1: O amor e a diversidade de Steven Universo

Olá pessoas, bem-vindos ao primeiro Conversa Paralela!

A indústria animística está em declinio?

Recentemente Hideaki Anno o criador do sucesso cult Evangelion, disse em uma entrevista que a indústria de animes logo irá encontrar seu fim, em um período de 5 a 20 anos. Ele disse que os animadores japoneses não possuem a mesma paixão que em outros países da Ásia, citando Taiwan como fonte de seu argumento, pois viajou até lá. Engraçado como ele fala que o anime vai morrer, mas não vai sumir. Por alguma razão, Hideaki acredita que o foco da animação não será mais o Japão, comentando até mesmo que os animadores do Japão deviam mudar suas técnicas e se reinventar.

Shin Sekai Yori, lançado em 2012, possui uma animação, história e análise social melhor que muito anime da "Era de Ouro".


O que dizer sobre isso?

Primeiramente, vocês não perceberam uma falta de fontes ou explicações para estas afirmações? Só por ser um figurão da indústria ele desenvolveu o poder de prever o futuro? Será Hideaki Anno parente de Michael Patcher? Isso chega a ser ridículo, imagina se um figurão de Hollywood um dia afirma o seguinte:

"Esses filmes de explosão são uma merda, os filmes franceses do século XIX, revitalizados pelos novos cineastas franceses são melhores, logo a França será o novo epicentro do cinema" 

Perceberam a falácia? Não tem como uma indústria dominante ser posta de lado sem mais nem menos, Hideaki Anno não é formado em análise econômica, Michael Patcher possui esta graduação e ainda assim é conhecido por seu ridículo poder de prever o futuro.

Os melhores atores dos "piores filmes".

Em uma tentativa de conferir a veracidade das palavras de Anno, eu pesquisei sobre as animações em Taiwan. Eu esperava algo surpreendente e para minha decepção, não achei nada. Não encontrei nada sobre uma obra popular que servisse como um One Piece ou Dragon Ball Taiwanês, também não achei grandes filmes que fazem os olhos lacrimejar de tão lindos, como os do estúdio Ghibli, muito menos encontrei análises sociais, assim como a própria obra de Hideaki Anno. O que encontrei foi um curta-metragem muito interessante chamado Lighthouse, este que ganhou vários prêmios, porém em um mundo industrial possui valor nulo. Se não existem obras de peso também não existem jogos, figures, posters, seyus, bandas. A indústria de anime não engloba só animação, ela vende uma variedade gigantesca de produtos promovidos pelas séries. O que eu encontrei é uma notícia sobre uma escola JAPONESA de anime sendo aberta em Taiwan, por que uma indústria que logo vai morrer está investindo em outros países?

"A cultivação de profissionais de animação também vai aumentar as capacidades tecnológicas da indústria cultura e digital de Taiwan." (- De acordo com este texto)

Quer dizer que o próximo epicentro do anime precisa da ajuda do Japão decadente, meio estranho hein Hideaki.

 "Taipei Assasins os taiwaneses campeões mundiais de League of Legends"

Existe um texto muito interessante que fala sobre Taiwan e League of Legends - pra quem não sabe esta ilha que vive em atrito com a China, recebeu uma influência enorme da Coreia e Japão, eles estiveram no centro do mundo dos games quando ganharam o mundial de LoL. Mas em entrevista, jogadores profissionais de Taiwan falaram que não possuem infraestrutura para competir em pé de igualdade com a enorme cultura de e-sports da concorrência. Por mais que os jogadores de Taiwan possuam paixão, o contexto econômico e social dos países é muito diferente, enquanto o ocidente nem sabia o que era e-sports, na Coreia campeonatos de Starcraft já passavam na televisão. Desde a conquista do mundial, nenhum time taiwanês conseguiu se sobressair no mundo competitivo de LoL. No último campeonato mundial eles foram massacrados por times coreanos e chineses, estes que protagonizaram a partida final no campeonato. A cultura gamer em Taiwan é riquíssima, o redator do texto mencionado conta como foi surpreendente ver tanto merchandising de todos os tipos de jogos num mesmo lugar, mas só gostar não é o bastante.

Paraíso "otaku" localizado no metrô da cidade de Taipei em Taiwan. Este são alguns dos produtos que a indústria japonesa vende junto do anime.

Uma indústria no mundo do entretenimento não se consolida em 5 anos, quem diria em 20, isto não é possível em uma mercado onde já existe concorrência, além do enorme declínio de seus rivais, para esta indústria chegar ao topo ela precisa de um enorme capital. Os japoneses já fizeram nome no mundo todo, seus produtos culturais podem ser facilmente encontrados até aqui nas terras tupiniquins - eles dominam o mundo da animação. Não é a qualidade da obra que traz lucro para a indústria cultural, mas sim obras que vendem, e quantos estúdios japoneses fecharam recentemente por serem "insustentáveis" como diz Anno? Quantos profissionais do Japão além dele estão vendo o horizonte de forma tão sombria? Um problema a ser considerado seriam os salários de novos animadores que em uma pesquisa diziam ser 8300 euros por ano, um ultraje para um trabalho que requer tanta qualificação, entretanto só isso não vai matar a indústria. Podem existir fatores sobre essa questão que eu desconheço, porém só com meu texto humilde já citei mais coisas em minha análise do que Hideaki Anno em sua entrevista. É imprescindível na comparação com a industria do cinema, lembrar que assim como os novos animadores ganham pouco, existe uma crise com os profissionais de special-effects(VFX), a qual não sei qual desfecho tomou. Porém existiu, fez seu alvoroço e seus apelos às pessoas, e mesmo com os responsáveis pelos efeitos especiais estando em uma situação ruim, ótimos filmes não pararam de serem feitos. Sinceramente eu sou um leigo e não vou saber explicar toda essa crise, eu soube dessa crise por esse vídeo aqui.

Evangelion e seus mechas.

Eu não acredito que os animes de hoje estão tão abaixo dos animes do passado. Sempre haverão ótimas obras a serem contempladas, o que existe são pessoas com síndrome de intelectual que em seu culto ao passado adoram falar que tudo vai morrer, falir, que não tem valor e vai gradualmente sumir. Quantas pessoas falaram e ainda falam que a Nintendo vai falir? Essas mesmas pessoas sabem que ela tomou a dianteira no mercado de games ano passado? Eu concordo que existem muito animes padronizados, sem conteúdo e fracos, eles são produzidos aos montes, e também existe em Hollywood diversos filmes na mesma categoria, porque ninguém fala que os filmes americanos vão morrer também? Por mais merda que as coisas sejam, contanto que elas deem lucro, serão satisfatórias para a indústria cultural.


Hideaki Anno?


Você sabia que Hideaki Anno é uma pessoa extremamente decepcionada com a cultura otaku? Veja bem, ser otaku no Japão é muito diferente da nossa concepção ocidental. Um otaku não é necessariamente alguém que é fã de anime, mas uma pessoa que tem um hobby e dedica toda sua vida a ele, todo seu lado emocional pertence a este hobby. O seu grande sucesso Evangelion faz uma critica direta a este problema, realizada em seu final considerado enigmático. Tentem entender o final de Eva comigo
A proposta seria algo como: toda a história até aquele momento estaria dentro da cabeça do protagonista, este que representando os otakus é uma pessoa cheia de problemas psicológicos e de auto-estima, criou todo um mundo mirabolante para fugir da realidade. Este mundo é preenchido por pessoas que realmente existem, mas no imaginário, suas personalidades são diferentes para se adequarem a sua mente. Ao final da história ele consegue superar seus complexos e consegue se aceitar, deixando seu mundo de fantasia. Também existe uma video-clipe extremamente interessante chamada ME!ME!ME! que ilustra o que é ser um otaku, e Hideaki Anno esteve envolvido com a produção do mesmo. Esse descontentamento por parte de Anno deve ter prejudicado muito seu julgamento nessa questão, afinal de contas esse negócio de otaku já é habitual na cultura japonesa, algo que provavelmente os japoneses não querem lembrar.
Assista o vídeo de ME!ME!ME! no site oficial.

 
 Isso não é zuera, esse realmente é o final de Eva, só que em Portugal.

Você também sabe o que aconteceu com Evangelion para ter esse final? Infelizmente não tenho fontes então você vai ter que confiar na minha palavra e na lógica.
Seguinte: Eva por mais de 20 episódios foi uma história com temas militares, robôs e monstros gigantes, devastação e personagens densos, como que Eva se tornou uma pura análise social em seus últimos episódios? Por que ele descartou tudo que foi construído ao longo do anime inteiro para em seu final falar "Era tudo coisa na cabeça do protagonista"?
A melhor teoria pra explicar isso é assim, os superiores de Hideaki o avisaram várias vezes que ele não poderia mostrar cenas muitos violentas, que as que ele já mostrou eles perdoariam, mas que ele não deveria fazer de novo. Quem assistiu Eva sabe do que estou falando, quando a Unidade 01 entra em berserk ela dilacera os Anjos, voa sangue pra caralho e ela fica com uma aparência demoníaca, e Anno não quis abrir mão dessas cenas, como resultado cortaram sua verba.
 Menino bonito!

Ele se viu encurralado, como terminar o anime com tão pouca verba? Vamos mudar tudo colocando uma conclusão misteriosa, quanto a animação podemos reutilizar quase tudo que foi feito no anime, afinal os últimos episódios não apresentam quase nada de novo na animação, logo a maior despesa seriam os dubladores. E para a surpresa dos superiores de Anno este final foi um sucesso, junto de todo o anime em si. Eva é endeusado, afinal foi responsável pela popularização de vários conceitos que hoje são normais em animes. Antes de Eva, os animes de robôs eram protagonizados por machões fodões, depois do Shinji que a prática de crianças em robôs gigantes se tornou comum, isso é só um dos exemplos.

Os protagonistas de anime antigamente eram assim.

O sucesso de Eva foi tão grande que de uma maneira ou outra caiu nas mãos dos otakus que preocupam tanto Anno, afinal a Asuka e a Rei são duas das personagens mais populares dos animes, protagonizando um trilhão de paródias pornôs e dakimakuras. E também os fãs pediram tanto por um final decente que foi produzido o filme The End of Evangelion, este retomando todo o contexto militar e fantasioso construído pelo anime, sendo considerado o verdadeiro final. E mesmo Anno criticando os otakus, ele decidiu rebootar o próprio anime: a nova versão não possui nada da psicologia densa da antiga, muito menos enorme crítica ao estilo de vida otaku. Ele é contra esse lado da indústria, mas explorando uma obra já finalizada ele está produzindo mais material para ela. O dinheiro sempre fala mais alto né.

Moral da historia: não deixe que outros sejam responsáveis pela sua opinião, todos erram, inclusive os figurões. A sua visão sobre as coisas quem faz é você, se aproprie dos outros só para enriquecer a sua, e não para descarta-la.

Siga-nos no Twitter e no Facebook!

Comentários

Postagens mais visitadas