Pular para o conteúdo principal

Destaques

Steven Universo: reflexões sobre o papel educacional de um desenho

Vivemos em um mundo de conflito, onde olhamos primeiro as diferenças e depois as semelhanças. Por essas e outras eu fico feliz de ter assistido quando criança desenhos que falavam sobre alguém excluído por ser diferente. E por causa disso acredito que Steven Universo, entre outros desenhos atuais, são mais do que recomendáveis para crianças e para qualquer um, pois eles possuem uma mensagem que pode potencialmente melhorar o caráter de alguém.

[Impressões] Persona 3 The Movie: como fazer uma boa adaptação


Tenho me sentido bastante satisfeito com a recente animação de Persona 3, são filmes de uma hora e pouco e até agora dois dos três filmes lançados estão disponíveis na internet. Não sei se o terceiro filme já saiu mesmo, mas sei que vai demorar muito pra aparecer como download, essas animações "movie" originalmente são exibidas no cinema, e só depois de muito tempo elas vão pra internet através de blu-rays, estes que demoram meses para saírem após a estreia do filme.
Há um tempo atrás foi lançado um anime do Persona 4 com o qual me decepcionei bastante, ele é ruim em tudo que eu gosto nesta animação de P3. Sinceramente, não sei porque tiveram um cuidado tão maior na hora de adaptar este, afinal o quarto título da série é tão popular que já recebeu até sequência cronológica, conhecida como Persona Arena.
Vale ressaltar que o traço de Shigenori Soejima melhorou muito desde 2006, até os personagens são mais detalhados, creio que a única coisa na qual a animação do jogo é melhor é a movimentação. Fico com a impressão de que a versão original foi até feita a mão, durante as lutas o movimento era muito mais suave, mas em compensação os cenários eram muito mais vazios, o que é bem diferente dos filmes.
E fora a adaptação fuleira, muito da arte original se perde também. Fazer anime é muito mais caro que mangá, quanto mais complexo for o estilo de desenho do mangaká mais caro será fazer a animação, pra contornar isso com o orçamento pequeno de animes-comerciais, eles simplesmente fazem um traço inferior, assim tornando tudo  mais fácil de animar.
Um dos maiores exemplos de adaptação muito boa que eu posso citar é o anime Bakemonogatari: ele é um jogo de palavras, mais de 90% das cenas do anime são diálogos entre pessoas paradas, o que na mídia original que é um livro não seria um problema, mas em uma animação ver um monte de gente conversando sem quase se mexer não faz jus ao nome "animado". Entretanto, com uma direção incrível foi possível fazer essa obra funcionar de uma maneira diferente, porém eficiente no anime. O hipster do Maeister fez uma análise desse anime aqui.
Também ficou muito boa a representação do seu desenvolvimento como pessoa, isso é spoiler pra quem zerou o jogo então, se quiser vá pro próximo parágrafo.
Por último tenho que falar que assim como a personalidade do Yuki é profunda, o romance entre ele e a Aigis será mais direto também. No jogo a relação dos dois poderia ser descrita como ambígua, mas nos filmes eles não vão deixar espaço para qualquer questionamento. Aigis é extremamente favorecida como personagem no jogo, não importa as suas escolhas, ela sempre irá ter um grande destaque.


Persona 4 The Animation não é ruim, o problema é que ele é muito mediano como uma adaptação e animação. A qualidade técnica era medíocre, o character design dos personagens era muito inferior ao do jogo, sem falar que a movimentação era muito artificial. Um fato pouco conhecido entre nos do Brasil é que, muitas vezes um anime é feito as pressas para estimular a venda de outra mídia, é aí que nasce um anime de 12 episódios tentando resumir 240 capítulos de mangá. Persona 4 não tem problema em seu roteiro, mas sim em sua produção, afinal esse tipo de anime geralmente possui orçamento baixíssimo, pois no fim das contas, para os produtores esse investimento não passa de publicidade, pra que investir tanto em uma animação feita pra vender outra coisa? A maioria dos animes é feita nesse molde, salvo exceções de estúdios renomados como o UFOTABLE e trabalhos semelhantes.



"SEU FILHO DA PUTA, PARA DE FALAR ASSIM DOS ANIMES! P4 É FODA E VOCÊ TEM QUE CHUPAR UM CARALHO!"

Seguinte, na época que saiu a animação de P4 também foi lançado  P4 The Golden, uma versão muito melhorada do jogo para o PSVita, vai me dizer que não faz sentido? Um anime dá visibilidade pra franquia, e se esse anime fizer sucesso, mesmo sendo ruim, é lucro pros produtores de diversas formas. No caso mais convencional, as vendas do mangá/jogo aumentam; no caso mais hardcore, diversos produtos de todos os tipos começam a ser vendidos, desde action figures até dakimakuras. 
Você não sabe o que é ​dakimakura?


A maior razão de eu ter gostado dos filmes, é pelo fato de que eles não são comerciais, não existe motivo pra fazerem um comercial de Persona 3, o jogo foi lançado em 2006, a época de vendas desse produto já expirou. Parece que a maior preocupação foi em realmente fazer uma animação boa, eu diria que em questão de detalhes no desenho ela supera até o jogo. A cidade normal e a Dark Hour, ficaram extremamente bem representadas, até me surpreendi quando eles mostraram o oceano todo vermelho - além da importância que eles deram para retratar o céu todo distorcido, o que não era necessário, mas foi feito para embelezar o filme.



A animação do jogo era assim. Melhorou bastante heim Soejima.

Acreditar que uma adaptação tem que ser uma reprodução exata da mídia original é errado, o anime não tem que ser um mangá com movimento, anime tem que ser animação com direção e arte de qualidade, se for baseado em outra mídia tem que oferecer algo que faça uma pessoa que já conhece toda a história sentir vontade de assistir. Essa discussão de Anime Vs Mangá é velha e existem muitos argumentos duvidosos no meio dela, mas o fato é, a melhor obra não é aquela que funciona melhor em seu meio artístico?


Ao longo dos anos, um desenhista refina sua arte e a torna cada vez mais bonita e complexa, na hora de fazer um anime muitas vezes não se preocupa com isso. Eu gosto MUITO da versão animada de Berserk, mas ela perde totalmente pro mangá na direção de arte.

Quem não percebeu onde eu quero chegar explicando esse lado da industria animística quero que você vá se fuder, vou finalmente ir ao ponto: as decisões de direção em P3 apresentam conteúdo extremamente atrativo para quem jogou o jogo. Uma das coisas mais chatas do P4 para mim, era que eu sabia a história, e assim foi monótono assistir algo que você já conhece exatamente tudo. P4 é uma reprodução fiel, mas com a ausência das mecânicas de gameplay - com o tom mais leve, ficou parecendo um Digimon Teen. Persona 3 tem menos tempo que P4 para contar sua história, então eles tiveram que otimiza-la o máximo o possível; muitos pensariam que isso daria errado, afinal o jogo tem mais de 60 horas, como iriam resumir tudo isso? Parece que a tarefa não foi tão difícil, pois os acontecimentos de P3 ficaram coerentes, os filmes se focam na parte que importa e mostram ela bem, e além disso decidiram mudar a interpretação de alguns acontecimentos. Sim! coisas no anime são diferentes do jogo, o protagonista agora tem uma personalidade muito mais detalhada.



"Mudaram ele? Calúnia!Pode isso não!" 

Na verdade é muito bom isso estar diferente, o protagonista de um Persona é aquele tipo de personagem silencioso, ele interage com os outros através de pequenas escolhas que você pode fazer e essas escolhas não são tão variadas a ponto de criar diversas personalidades possíveis. Isso torna esses protagonistas quase sempre personagens vazios; dar profundidade a um personagem desse tipo foi algo que P4 não fez com Yu Narukami, eles simplesmente decidiram colocar as falas de Yu de acordo com as melhores escolhas disponíveis no jogo, em resumo ele se tornou Jesus, um personagem sem emoções negativas que é muito bom em tudo. Já o Makoto Yuki de P3, é muito diferente, existe um clima de depressão em volta do tema do jogo e, decidiram usar isso a favor dessa nova personalidade dele. Makoto é confuso, indiferente e introvertido, seus amigos até falam que ele é uma pessoa meio estranha. Yu era forte porque ele era Jesus, enquanto Makoto é forte porque ele é imprudente, ele não liga muito pra morrer então assume riscos que fariam seus colegas hesitarem, e diferente de Yu que era EXTREMAMENTE forte no anime, Yuki está em um patamar semelhante ao de seus companheiros. Várias vezes é mostrado que ele apanha e tem dificuldades, é um combate mais bem feito do que "Eu sou o protagonista! Bora explodir tudo!".

Quando Yuki era criança seus pais morreram na sua frente, ele foi o único sobrevivente de um acidente de carro, além disso após a morte de seus pais ele viu Death e Aigis lutando, uma cena que provavelmente assustaria muito uma criança, mesmo não tendo memórias disso ele com certeza foi afetado por esse acontecimento. Em nenhum é mostrado que ele possui algum responsável - como o Grupo Kirijo foi de certa forma culpado pelo acidente de seus pais arrisco dizer que por isso ele foi criado em instituições do grupo, essas que o mandaram para Tatsumi Port Island no começo da história. Makoto é totalmente sozinho até o início da história, não possui nenhuma depressão que o faça querer se matar, mas também não há nada que o faça querer viver. Ele simplesmente segue o fluxo das coisas - este era o protagonista inicialmente. Após se envolver com o SEES Yuki, o protagonista se torna um pouco mais sensível, percebendo que gosta de seus amigos; ele não quer perdê-los, não quer "acabar a missão" e terminar com a única coisa que une todos eles: o combate às shadows. Isso entra em conflito direto com os objetivos de seus amigos, que querem o quanto antes sair dessa vida de batalhas, pra ele tudo foi sempre tão superficial que, em sua mente, se eles vencerem o Tartarus Yuki nunca mais vai ver seus amigos - é assim que uma pessoa solitária pensa. Esse conflito fica tão interessante, que quando acontece alguma merda muito séria, Makoto mostra a expressão da primeira imagem no post, aquela cena diz o seguinte em sua mente: "Isso aqui não é brincadeira".




Sinceramente não faço ideia de como avaliar esta animação como anime, pois eu a assisti inteiramente como um fã de Persona 3, e sendo este tipo de consumidor, eu recomendo a todos os fãs de Persona 3 que assistam os filmes. É muito bom relembrar o que você gosta, só que visto de uma maneira que você não conhece, estou bastante curioso pro terceiro e quarto filme, aparentemente a abordagem da história vai sempre cair pro lado mais sombrio, ou seja, quem morreu e reviveu no jogo provavelmente não vai reviver aqui.

Baixe os filmes aqui no ​Dollars Fansub.











;/

Comentários

  1. Otimo Texto.
    Realmente os filmes são muito bem feitos,ao contrário das adaptações rushadas de P4, o ruim é ter que esperar sair os próximos.
    De qualquer forma, sou suspeito pra falar pois mesmo gostando de P4 eu prefiro bem mais P3

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas