terça-feira, 5 de maio de 2015

[Impressões] Owari no Seraph, nova franquia da Jump?


A história é o seguinte: existe um tipo de feitiçaria no mundo e criaturas além da humanidade, o mundo é igual ao nosso e esses feiticeiros viviam escondidos assim como as criaturas, até que um dia esses magos de araque tocaram em algo que não deviam mexer, soltando uma grande catástrofe sobre o mundo na qual 90% da humanidade morreu instantaneamente, a maioria dos jovens por alguma razão não foi afetada. Vendo que agora o número de humanos era menor, os vampiros tornaram pública a sua existência e começaram a reinar sobre os humanos.


O protagonista é um desses humanos que foi capturado pelos vampiros. Eles começaram a criar humanos em cativeiro para assim terem comida infinita ao seu dispor. Yuu é um personagem cabeça dura, inconsequente e tsundere, antes do apocalipse ele foi mandado a um orfanato e após a catástrofe as crianças daquele lugar se uniram ainda mais tornando-se a sua família. Junto de seu amigo, Mika, eles bolam um plano para fugir dos vampiros.

E é aí que!!!!!!!!!!1!111!!!!! Todo mundo morre. Não é spoiler, pois este é o primeiro capítulo. A fuga deles na verdade era uma armadilha plantada por um vampiro sádico, todos morrem enquanto Yuu foge vendo seu amigo Mika, a beira da morte gritando para ele correr.

Então o protagonista cresce com ódio dos vampiros e decide se tornar Raidou Kuzunoha!


Tirando a brincadeira de lado, ele realmente usa roupas de militar japonês e faz contrato com um demônio. Assim como Shin Megami Tensei, o autor de Seraph usou e abusou de inspiração a cerca do período militar na história do Japão, Kuzunoha deve ter tido uma certa influência, afinal, demônios e militares japoneses com certeza remete a ele.

O negócio é que após o apocalipse, muitos dos seres humanos remanescentes eram os tais feiticeiros, eles desenvolveram maneiras de se contratar demônios para assim conseguirem matar vampiros, além de serem os responsáveis pelas últimas cidades humanas do Japão.


Raidou, protagonista de Shin Megami Tensei Devil Summoner.


E se não bastasse a relação com Raidou, eu consegui ver uma inspiração muito forte em Naruto! O melhor amigo de Yuu não morreu, quando ele fugiu a Rainha dos vampiros apareceu e decidiu transforma-lo, criando assim uma relação Naruto e Sasuke.

Só que diferente de Naruto, aqui a coisa é bem construída e não é uma amizade unilateral que ao final da história forçadamente se torna verdadeira.

Naruto ao seu início era uma história sobre muitas pessoas e no final era sobre Naruto e Sasuke, menosprezando os outros personagens em uma tentativa de convencer o leitor que o poder da amizade destrói qualquer barreira. Em Seraph, desde o primeiro capítulo a história é sobre Yuu e Mika. Eles não se separaram porque um deles virou babaca e quis ficar fodão, não é uma história na qual um deles persegue o outro por anos enquanto o alvo desse afeto é um filho da puta indiferente. Mesmo virando vampiro, Mika não esqueceu sua família e quer muito ficar ao lado de Yuu novamente, só que isso é impossível devido as circunstâncias.


Mas eaí, será que vai ser bom mesmo ou vai cair no mesmo abismo de utopia em que Naruto se afundou?

Pra responder essa pergunta é só ler o nome do roteirista do mangá, Kagami Takaya, o mesmo autor de Densetsu Yuusha no Densetsu e Itsuka Tenma Kuro Usagi. Vocês nunca ouviram falar dessas duas obras, justamente porque elas não caem no gosto das massas, são tragédias violentas onde o autor se preocupa em como fuder com a história a cada novo volume. Os amigos sempre viram inimigos e não tem nenhum poder da amizade que mude isso. O autor gosta bastante de intrigas políticas, personagens consumidos por sentimentos conflitantes e situações em que não há saída boa para todos os lados. Então sim, acho que Seraph vai se tornar uma história do caralho com o tempo.

Como assim com o tempo você pergunta? Seraph só tem 30 capítulos até agora, é um bebê na indústria e mesmo assim já conseguiu uma adaptação para anime, dessa vez o Kagaya manerou no seu sadismo e fez uma história mais acessível para todos, porém as características da sua narrativa ainda permanecem, afinal o horizonte ainda é muito escuro para os personagens desse mangá.



Anos atrás eu vi uma situação semelhante a de Seraph quando lançaram Shingeki no Kyojin, este que se tornou um enorme sucesso e em pouco tempo conseguiu um anime, jogo para DS e coisas do tipo. Seraph tem potencial para se tornar uma franquia até maior que Kyojin. O mangá é tão novo e já possui um spin-off sendo publicado! Fazer um jogo dele também é extremamente viável, esse negócio de demônio abre várias portas para decisões envolvendo o gameplay, por exemplo, daria pra fazer um jogo em que você é um novato nesse mundo, você passa pelo teste e consegue um demônio criado para o jogo. Daria pra fazer esse jogo em formato de RPG tradicional ou como um jogo de aventura. Já até confirmaram que a segunda temporada do anime vai ser produzida! Sendo que a primeira nem acabou ainda.
Seja o primeiro a comentar.

Postar um comentário