Pular para o conteúdo principal

Destaques

O terror como punchline humorística em Get Out

O cinema tem como principal função apenas entreter, assim como qualquer outra forma de arte. Você pode dar "n" motivos para uma obra ser boa, mas se ela não entretêm, ela não serve para nada. Tendo isso em mente, eu sinto falta de um cinema um pouco mais descompromissado; eu sinto falta de contos e crônicas sinceras, coisas que só vemos em produções independentes que em sua maioria se quer chegam por essas bandas. Portanto, ver um filme como Corra fazendo sucesso tanto entre o público de nicho e o público geral, acabando por ser exibido com certa relevância, chega a emocionar. Não que isso automaticamente torne o longa bom, mas é que a sua proposta é tão simples e ao mesmo tempo tão cheia de nuances e propósitos, que é difícil não torcer para que dê certo. Corra deu certo e não só isso, é um respiro no gênero tanto de terror quanto de comédia. Ele não é inovador, mas a sua exótica combinação de gêneros culmina em uma história bem executada, sem a necessidade de ser megaloma…

[Recomendação] Cães de Aluguel

reservoir_dogs poster

Cães de aluguel (ou Reservoir Dogs) é um longa escrito e dirigido por Quentin Tarantino, lançado em 1992.
É praticamente o primeiro da carreira do diretor. Quentin havia escrito Amor à Queima Roupa antes, mas este filme nem é considerável, pois, de acordo com o próprio Tarantino, ele estava apenas arrecadando dinheiro para aí sim, fazer o filme do roteiro que ele estava escrevendo. Ele sabia que com Cães de Aluguel ele conseguiria a atenção necessária – Ele confiava em seu trabalho.
Bom, a trama do longa se foca em 6 homens que são contratados para realizar um assalto. Os homens não se conhecem e não devem se quer saberem os nomes uns dos outros, recebendo codinomes de cores: Mr. Blonde, Mr. Blue, Mr. Brown, Mr. Orange, Mr. Pink e Mr. White.
Caes de aluguel 1
Caes de aluguel 2O que aparenta ser uma trama desconexa se torna uma incrível história, usando apenas da simplicidade.
A cena inicial já dá o tom do que irá se seguir. Todos os “cavalheiros” estão trajados com terno e gravata numa lanchonete. Discutem futilidades, como a política do Mr. Pink em não dar gorjetas ou, um grande momento épico, o que significa a letra da música Like a Virgin, da Madonna.
O roteiro tem grande peso, sendo os diálogos rápidos e bem estruturados, marcando a “identidade” do diretor, que se seguiu em todos os filmes posteriores: violência exagerada, comédia irônica e muito palavrão.
Este é Tarantino em seu inicio, computando as ideias e influências que ele pegou de diversos diretores e aplicando ali, numa obra própria.
Aos poucos, conforme as personagens vão se conhecendo, o passado de cada um é mostrado. Não exatamente uma época longínqua, mas sim como chegaram ali. As histórias vão se emendando, ainda mais quando há um iminente traidor.
Um fato curioso é que apesar de se tratar de um assalto, este nunca é mostrado. Inicialmente isso foi idealizado por questões de orçamento, mas Tarantino disse que a ideia se tornou bastante interessante, pois demonstra que o filme trata sobre outros assuntos.
E realmente é isso. Não estamos interessados em saber o que aconteceu com os diamantes, e sim em como os marmanjos irão resolver aquela cabulosa situação. Você fica tenso e ri ao mesmo tempo. Na cena em que deveria ser um diálogo convencional, de repente se transforma numa sanguenta batalha, que não poupa mortos.
É entendido por que se tornou o melhor filme independente. É tudo tão simples que você chega a estranhar. Uma sala, um problema, 6 homens e pronto. Tudo pode acontecer. E quando digo tudo, é tudo mesmo! Dentro daquele contexto, o tema é trabalhado muito bem, com surpresas e reviravoltas à todo momento.
Caes de aluguel 3Inicialmente você fica com um sentimento esquisito – do por que aquilo está acontecendo. Mas vai acompanhando para ver até onde vai dar. Quando menos se espera, seus olhos estão vidrados já cogitando o que pode acontecer.
A cena final é quase alucinótica. “Não, isso não pode acontecer!”, e realmente acontece. De um modo realista, o problema é resolvido sem deixar vestígios. Um ciclo é formado, se completando. Basicamente uma história redondinha, que mostrou os indícios da realização e fim desde o começo.

COOOOOOL!

Caes de aluguel 4Fica claro em como os “senhores” são legais. É deste modo que Tarantino os vê. Caras de terno, fumando e desdenhando das coisas. Há bastante influências dos filmes de faroeste, ainda mais quando a “justiça” é realizada com as próprias mãos. Se Mr. Pink é o companheiro medroso, mas espertalhão, Mr. White é o bom moço que já recebeu pedradas na vida. Assim segue-se, em uma esquema prático da formação de cada individuo.

Atuações

Caes de aluguel 5Mais um ponto a se observar nos filmes de Tarantino – NENHUMA atuação é ruim. Pode ter aquele(s) que se sobressaia(m) mais que os outros, mas ninguém deixa a desejar. Todos estão munidos de expressões exageradas e jeitos caricatos. É quase como se Tarantino encarnasse em cada ator para fazer o próprio filme. Assim, com facilidade, as personagens ganham vida e se desenvolvem. Ainda mais quando as ações equivalem àquilo que foi criado.

Conclusão

caes_de_aluguelCães de Aluguel é um filmaço, para não dizer genial. Mas o que é genial? Genial é algo que consegue ser incrível em seu tempo, passar pelas épocas sem deixar de ser ótimo e continuar apesar dos vários anos, explodindo a sua cabeça de vários modos – É isso que Cães de Aluguel faz.
Com o pouco que tinha, vai além do imaginado, sendo um filme coeso, divertido, dramático, tenso, frenético e calmo ao mesmo tempo. Com um roteiro exemplar e diálogos de tirar o fôlego.
Você ainda não o assistiu? O que estava esperando em todos esses anos?!
Recomendo com louvor, a história de seis cães que brigam por um osso.

El Psy Congroo.
"Texto originalmente postado no blog Divisão 42 em 2013"

Comentários

Postagens mais visitadas