Pular para o conteúdo principal

Destaques

Steven Universo: reflexões sobre o papel educacional de um desenho

Vivemos em um mundo de conflito, onde olhamos primeiro as diferenças e depois as semelhanças. Por essas e outras eu fico feliz de ter assistido quando criança desenhos que falavam sobre alguém excluído por ser diferente. E por causa disso acredito que Steven Universo, entre outros desenhos atuais, são mais do que recomendáveis para crianças e para qualquer um, pois eles possuem uma mensagem que pode potencialmente melhorar o caráter de alguém.

"O inverno está chegando..."

As Crônicas de Gelo e Fogo - A Guerra dos Tronos

Você pode ter conhecido o livro depois da série da HBO. Você pode ter conhecido o livro antes da série da HBO. Mas devemos concordar, essa é a fantasia mais épica desde que Bilbo encontrou o anel.
E para você que ainda não leu A Guerra dos Tronos, talvez se prontifique em ler depois deste post.
“Em A guerra dos tronos, o primeiro livro da aclamada série As crônicas de gelo e fogo, George R. R. Martin – considerado o  Tolkien americano – cria uma verdadeira obra de arte, trazendo o melhor que o gênero pode oferecer. Uma história de lordes e damas, soldados e mercenários, assassinos e bastardos, que se juntam em um tempo de presságios malignos.”

Uma Fantasia Não Fantasia


Quando peguei Game of  Thrones para ler, já sabia o que me esperava por ter assistido a primeira temporada do seriado, mas nem por isso a leitura se tornou menos envolvente e impactante; muito pelo contrário. Mostrando assim, todo o talento de Martin.
Ao início, temos um prólogo em que nos é apresentado algumas personagens. George não se limita em ter que explicar as coisas pois elas mesmas se explicam no enredo conforme tudo vai acontecendo. Isso só nos traz um sentimento de incerteza que faz continuar na história atrás de respostas.
O prólogo é monótono, assim como o capítulo seguinte em que começa a aparecer nossa querida família, os Starks.
Tudo vai indo bem lento e ao seu tempo, com uma normalidade e representação da época medieval assustadora, em termos de detalhes. Lendo, você quase se esquece que é uma fantasia, mas o maldito zumbi do prólogo, nos faz ter certeza que algo à mais está por vir.
Conforme a história vai desenrolando, o foco se dá na família Stark, onde todos estão lá emWinterfell, quase como um círculo fechado (à não ser Daenerys, que está do outro lado do oceano). Aos poucos esse círculo vai crescendo e se desfazendo e, ao contrário das literaturas convencionais, em que cada personagem começa longe e aos poucos se interligam, aqui o efeito é totalmente contrário.
Começamos com uma leitura ingênua, ainda com aquela atmosfera sombria. Aos poucos os temas crescem, tais como: corrupção, assassinato, intrigas, casamentos, prostituição e claro, guerra. Todos naturalmente.
Essa atmosfera vai se desenvolvendo aos poucos, até quando sem percebermos, a fantasia já está ali. E o melhor disso tudo é a narrativa.
Martin é explorador e minucioso, não estamos em uma narrativa em primeira pessoa, mas é como se estivéssemos na mente das personagens. E nunca há um fim exato para determinado assunto, pois ele acaba sempre levando à outro, e mais outro.
O autor não necessita nos dizer claramente os acontecimentos, nem mostrar. É como se realmente aquilo acontecesse e ele estivesse apenas relatando. Por exemplo: quando Ned Stark é decapitado, ao contrário do seriado, isso não é mostrado claramente. Em nenhum momento o narrador fala: “Ned Stark morreu”, mas sabemos que ele foi morto por causa dos acontecimentos e reações das personagens à seguir.
Ao mesmo tempo que vemos claras influências de outras obras (tais como Senhor dos Anéis e a Guerra de Rosas de Ivanhoé, esta última por sua vez descrevendo um fato histórico), ele é original e se perceberem na escrita, há algo que remete muito à um roteiro.
Depois que você passa do prólogo e o primeiro capítulo, o difícil mesmo é parar de ler. Tudo é viciante e impactante de um jeito novo.

As Personagens

"Mapa do Norte e do Sul do reino fictício de As Crônicas de Gelo e Fogo, Westeros."
Não pretendo falar de cada personagem separadamente (até por que são muitas), mas sim em geral.
Outra coisa muito legal na Guerra dos Tronos (e em toda a série), é isso. Todas as personagens são importantes e os que tem suas visões, são quase como personagens de um RPG em que escolhemos uma e, assim vamos fazendo seu caminho. Só que aqui quem conduz é Martin.
Trás uma grande variedade, desde o Duende sarcástico Tyrion, até a inocente e confusa Daenerys.
E é interessante notar o impacto que cada um tem uns nos outros. Se Ned Stark é preso, vemos logo após as consequências e efeitos disso nas outras personagens. É só perceber, como um fato simples (a queda de Bran), desencadeia uma série de acontecimentos inimagináveis, mas totalmente críveis.
E devo dizer que meu personagem preferido não tem uma visão, mas é incrivelmente trabalhado (nem tanto nesse livro, mas cresce bastante), mostrando assim que Martin tem um poder imenso se tratando da trama.
Quando chega o final da obra, nos sentimos como se uma ligação tivesse sido cortada no meio da conversa; até por que inicialmente o primeiro livro das Crônicas de Gelo e Fogo e o segundo (A Fúria dos Reis) eram para ser um só.
E devo dizer, o início começa em fantasia e o fim acaba em fantasia.
Daenerys, uma das grandes personagens da trama, avança em seu rumo naturalmente até quando nos deparamos com ela nua e com três dragões nascidos, junto dela. A visão é esplêndida e quando acaba, só nos faz gritarmos por mais.

Conclusão

A Guerra dos Tronos é a fantasia mais épica dos últimos tempos, com uma leitura instigante. Tudo é importante na trama, desde as cenas de sexo até as mortes indesejáveis (e desejadas), com uma narrativa genial, de construção impecável.
Se o livro fosse um espetáculo, eu aplaudiria em pé.
George R. R. Martin cria minuciosamente um mundo igual ao nosso, ao mesmo tempo cheio de fantasia nas entrelinhas e sobrelinhas, com personagens surpresos com a aparição de dragões tanto quanto nós estaríamos na vida real.
Com fervor, recomendo e digo que você terá uma leitura prazerosa, muito bem construída e genial ao seu jeito, onde o maior perigo é se viciar.

El Psy Congroo.

Comentários

Postagens mais visitadas