Pular para o conteúdo principal

Destaques

Conversa Paralela #1: O amor e a diversidade de Steven Universo

Olá pessoas, bem-vindos ao primeiro Conversa Paralela!

[Analisando Animes] Kyoukai no Kanata


Akihito Kanbara é um meio-youmu e por ser esta criatura extremamente rara, o protagonista também possui uma regeneração tão forte que o chamam de imortal. Um dia ele conhece uma menina chamada Kuriyama Mirai, a última descendente de um clã amaldiçoado que possui a habilidade de controlar o sangue. Os dois se vem atraídos devido a condição ou "maldição" que eles tem em comum.

Youmu são seres etéreos, a origem deles não é bem explicada mas aparentemente são o mesmo que youkais, estes já fazendo presença em incontáveis setores do Japão. Youkai é o nome dado para os seres pertencentes ao folclore e mitologia japonesa. Uma interpretação errônea é dizer que eles são demônios, no Japão não existe essa distinção clara entre bem e mal como existe na mitologia cristã. Existem youkais demoníacos assim como existem aqueles que nascem a partir da natureza, aqueles que representam animais ou aqueles que nascem do ser humano. Este último tipo sendo melhor representado por fantasmas. Já em Kyoukai no Kanata, é dito que os youmu nascem das emoções ruins do ser humano. E em história de seres assim, os humanos sempre possuem algum meio de apresentar resistência a estes seres, seja em forma de monges, xamãs e como é o caso em questão, guerreiros espirituais.

Você tem certeza que nunca ouviu falar de youkai? A raposa de nova caudas em Naruto é mais do que inspirada em um deles!

A raposa de nova caudas de Kyoukai no Kanata.

Mas então, do que realmente se trata esse anime? Ele é um anime de luta com temática em folclore japonesa, tendo uma parte romântica que se destaca muitas vezes e um mundo que aparenta ser bem construído.

Akihito é o protagonista mais estilo Naruto possível, ele não tem controle sobre seus poderes, foi excluído durante a vida e tem um trauma por ter machucado ou possivelmente matado alguém. Mirai acredita que ele é diferente dela pois têm amigos, mas Akihito diz que as pessoas só ficam ao redor dele para mantê-lo sob controle. Essa ideia é interessante. Diferente do Naruto que ficava mais no pastelão, aqui parecia que o tema criança amaldiçoada ia ser tratado de forma mais séria, mas infelizmente não foi. Por mais que o Akihito sinta-se culpado e com medo do seu poder, ele simplesmente vive e age como um estudante normal, os seus vigias são claramente seus amigos, ele se da muito bem com eles e demonstrou gostar deles sim! Durante grande parte do enredo o anime é mais um shounen porradeiro do que tudo, e ele falha epicamente nisso pois, Akihito não possui nenhum grande objetivo, nem uma força da qual ele tenha controle, grande parte da personalidade de um protagonista shounen é mostrada pelos seus feitos, assim construindo seu carisma. Akihito simplesmente não quer nada, ele vai no fluxo e fica perseguindo a Mirai durante todo o anime, e ele não pode lutar, pois não tem um único poder sob seu controle! Ele é um estudante genérico que tem um capeta no corpo, só isso.

Talvez Akihito seja um homem que simplesmente queira fugir do seu destino, por trás de sua personalidade genérica ele enfrente um grande temor, ele se esforça ao máximo para ninguém perceber e vive uma vida de sorrisos falsos. Este seria o jeito de transformá-lo em um personagem profundo, é uma pena que em nenhum momento ele é retratado desta forma.

Akihito em forma youmu


Agora vamos para o romance, a parte em que se destaca afinal, o anime todo é sobre a química entre Mirai e o nosso Naruto da vez. Diferente de um estudante genérico ele se mostra mais ativo em relação ao seu interesse amoroso, ele não fica extremamente encabulado ou nervoso perto dela. Sempre que ela precisa de ajuda ele se dispõe a estar lá, mesmo que isso custe uma espada no peito e muitos machucados. As lutas sem carisma acabam sendo ofuscadas pelo conteúdo romântico da história, mas ele realmente é bem construído? Não, no final da história eles sabem que o sentimento de atração é mutuo, e como o anime acaba? Em um sorriso dos dois. Eles quase morrem, enfrentam criaturas muito além da compreensão deles, para sobreviverem e trocarem um sorriso. O desfecho deles como casal não ganha nem um abraço, mas uma troca de olhares!
Um dos maiores potenciais do Akihito era o seu interesse honesto em Mirai, que ao final das contas se transforma em uma relação superficial, com um clima forçadamente inocente.

A imagem acima é um das cenas mais emocionantes e importantes para o casal, e sabe o que acontece? Eles ficam se olhando!


As lutas só são legais por causa da animação de ótima qualidade do conhecido Kyoto Animation. Porque se formos avaliar elas em questão de porrada elas não tem carisma nenhum, nada nesse anime tem um carisma decente, eu só falei do Akihito até agora porque as únicas coisas que merecem menção nesse anime são ele e a Mirai, os personagens secundários não são desenvolvidos, o enredo é muito vago deixando um número enorme de brechas e a ambientação é confusa e vazia.

Os melhores animes de luta conseguem transformar uma simples troca de socos em algo muito maior, usando de algum antagonismo muito forte entre os personagens, demonstrando alguma oposição de ideais, um objetivo a ser alcançado ou um personagem extremamente carismático. Acredito que Kyoukai não possui nenhuma dessas características.

Vamos falar sobre o enredo, pra não dizerem que não tem nada!
Ao final da história, descobre-se que a metade youmu do protagonista é o ser mais poderoso que o mundo já viu, que milagrosamente se encontra dentro do dele por alguma razão. Essa criatura é tão forte que pode destruir o mundo! O mundo! E então aparece um cara aleatório que simplesmente quer devorar este ser, e essa é a motivação do "vilão". Ou seja, tudo é tirado do rabo pra podermos ver cenas bonitas dos dois protagonistas e algumas lutas muito bem animadas.


Como você consegue viver normalmente Akihito? Este é o Akihito criança.

Por mais que a Mirai muitas vezes seja uma personagem interessante ela é rasa como o reservatório da Cantareira. Ela possui muitos traumas, que são facilmente esquecidos assim que ela encontra Akihito, e assim como ele Mirai é extremamente normal para alguém que viveu grande parte da sua vida em exclusão! Os personagens deste anime deveriam ter uma visão muito mais sombria da vida, mas em vez disso eles ficam fazendo piada e agindo de forma fofa e cômica.

"Kawaíiíííííííí"

Existe um potencial imenso em quase todos os conceitos presentes nesse anime, mas tudo nunca passa do superficial! Chegam a mencionar organizações de guerreiros espirituais, famílias ancestrais e monstros além da compreensão. A base está lá, o próximo passo seria contar o passado e a influência desses poderes sobre o mundo, mas não, quem se importa com plano de fundo quando você pode ver a Mirai envergonhada?

A única relação honesta no anime é homossexual.

Kyoukai no Kanta é um anime que tem os recursos para ser ótimo, mas ao final das contas ele é simplesmente medíocre em quase tudo. Quando o que mais se sobressai em um anime é a animação, quer dizer que tem algo errado. A versão original da história são light novels, talvez elas consigam suprir grande parte das deficiências no roteiro do anime, afinal, um obre expositiva consegue contar uma história com muito mais detalhe e profundidade, além de que o só teve treze episódios, isso não é tempo pra se contar uma história que pode ter tanta informação.

Arrisco dizer que este anime foi feito nas cochas, com o provável objetivo de se alavancar uma franquia em crescimento. Praticamente um comercial de vinte minutos, feito para se trazer mais publico para as light novels. Essa prática é mais comum do que se imagina, afinal obras extremamente gigantes são adaptadas em 13 episódios direto.














Comentários

Postagens mais visitadas