Pular para o conteúdo principal

Destaques

O terror como punchline humorística em Get Out

O cinema tem como principal função apenas entreter, assim como qualquer outra forma de arte. Você pode dar "n" motivos para uma obra ser boa, mas se ela não entretêm, ela não serve para nada. Tendo isso em mente, eu sinto falta de um cinema um pouco mais descompromissado; eu sinto falta de contos e crônicas sinceras, coisas que só vemos em produções independentes que em sua maioria se quer chegam por essas bandas. Portanto, ver um filme como Corra fazendo sucesso tanto entre o público de nicho e o público geral, acabando por ser exibido com certa relevância, chega a emocionar. Não que isso automaticamente torne o longa bom, mas é que a sua proposta é tão simples e ao mesmo tempo tão cheia de nuances e propósitos, que é difícil não torcer para que dê certo. Corra deu certo e não só isso, é um respiro no gênero tanto de terror quanto de comédia. Ele não é inovador, mas a sua exótica combinação de gêneros culmina em uma história bem executada, sem a necessidade de ser megaloma…

Por que Hironobu Sakaguchi odeia sequências?


Em uma entrevista, Hironobu Sakaguchi, o criador de Final Fantasy, disse que odeia sequências. Ele acredita que um jogo deve ser feito de forma mais completa o possível, não deixando assuntos pendentes ao seu final.


O último jogo da série Final Fantasy que ele dirigiu foi o V, depois dele tivemos uma enxurrada de finais insatisfatórios, não por serem ruins, mas por serem vagos e deixarem muito coisa no ar. Para ele seria um pecado fazer o desastre que foram as sequências de Final Fantasy X, as quais analisei aqui.

Ele saiu da Square e hoje trabalha em seu próprio estúdio o Mistwalker, conhecido por lançar The Last Story, um dos melhores JRPGs da geração passada. E seguindo seus princípios, The Last Story não deixa pontas soltas, relações amorosas incertas ou coisas do tipo. O jogo acaba em um casamento até, dando um desfecho realmente conclusivo para o par da história.


Quanto a mim não odeio a ideia de sequência, porém do jeito que a Square faz não da pra gostar. Além do X, existe o caso da trilogia Final Fantasy XIII. Por causa de suas continuações, ela apresenta uma incoerência gigantesca, os outros jogos não tem nada a ver com a proposta do primeiro, usam de conceitos forçados e tirados da bunda pra te apresentar um mundo extremamente mágico, sendo que o primeiro XIII te apresentava um mundo em que magia era tecnologia.

Comentários

Postagens mais visitadas