Pular para o conteúdo principal

Destaques

Steven Universo: reflexões sobre o papel educacional de um desenho

Vivemos em um mundo de conflito, onde olhamos primeiro as diferenças e depois as semelhanças. Por essas e outras eu fico feliz de ter assistido quando criança desenhos que falavam sobre alguém excluído por ser diferente. E por causa disso acredito que Steven Universo, entre outros desenhos atuais, são mais do que recomendáveis para crianças e para qualquer um, pois eles possuem uma mensagem que pode potencialmente melhorar o caráter de alguém.

(Mini-post) Três mangás de Junji Ito


Iae pessoas, como vão?
Estou de volta com mais um (Mini-post), dessa vez sobre Junji Ito. Para quem não sabe, Junji Ito é simplesmente o mestre do terror nos mangás - nem preciso dizer que acho o cara foda.
Há diversos mangás dele, mas peguei apenas alguns e organizei-os num seleto grupo. Impacto, terror e traço, tudo isso e muito mais foi levado em consideração para elaborar esse Top 3.
Se acomode e lets go conhecer um pouco mais das obras do Lovecraft japonês.

TOP 3 Junji Ito

3° Lugar: Gyo

Talvez este seja o mais WTF da lista. Junji Ito é famoso por pegar coisas simples e transformá-las em algo surreal, como é este o caso e do nosso primeiro lugar.

Sem mais nem menos peixes começam a sair do mar e invadir a Terra. Esse é o plot inicial de GYO, que vai se expandindo aos poucos.

Amor, violência, guerra e muito mais, são abordados nesse mangá, de forma fantasiosa e ao mesmo tempo realista.
Com imagens bem pesadas, vemos a propagação da infecção que se inicia com os peixes, fazendo os humanos incharem e se tornarem seres nojentos.
A ideia de humanos sendo usados como experiencia me fez lembrar o adoravel filme Centopéia Humana, porém diferente do longa galhofa, GYO não é feito só de guro - por incrivel que pareça, GYO desenvolve uma história - e apesar de não ter muito sentido, é muito boa por sinal.

5 imagens aleatórias:







2° Lugar: Tomie

Lançado em 1987, sendo o primeiro mangá publicado de Junji Ito, Tomie com certeza é um ótimo inicio. O mangá simplesmente iniciou uma série de filmes bem sucedidos no Japão e se tornou um dos mais cultuados e clássico do gênero.

Tomie é uma linda garota. Basta passar pela rua para atrair a atenção dos homens - porém, há uma estranha atmosfera envolta dessa moça. Logo vemos na primeira história algo horrendo: Tomie é violentamente morta por sua classe em uma excursão escolar. Mas no dia seguinte a garota aparece, para o espanto geral, vivinha da silva.

Tomie nada mais é que a encarnação da luxúria em pessoa. Ela faz os homens se apaixonarem por ela e as mulheres sentirem inveja, mas isso não de forma convencional. Essa simples garota acaba por ocasionar situações peculiares e desastrosas.

É interessante notar o traço de Ito, que se inicia (como qualquer mangaka iniciante) feinho, mas aos poucos vai evoluindo conforme o roteiro se torna mais elaborado. Tomie não é linda, ainda sim atrai atenção - e não estou falando isso dentro história, e sim do design da personagem mesmo.
Ela é genialmente desenhada para ser bonita (não sendo maravilhosa), apaixonante, horrenda e peculiar.
Junji Ito passa emoções muito fortes - algo que só senti lendo H. P. Lovecraft.

5 imagens aleatórias:







1° Lugar: Uzumaki


Em um dia qualquer, enquanto tentava encontrar o novo capítulo de Naruto, me deparei com algo diferente. Pensei que fosse relacionado à turminha do ninja laranja - mas não era. A sinopse dava a impressão de ser um slice of life chato, sem muito para contar. Mesmo assim, resolvi ler os comentários. Todos vangloriavam-o como uma belíssima obra de terror - algo sem precedentes.
Foi então que às 3 horas da madrugada cliquei no link à minha frente, disposto a ver qual era a história daquilo, que a prinicipio, parecia não ter muito a dizer.

Uzumaki talvez seja a obra definitiva de Junji Ito.
O mangáka aqui está em sua melhor forma (não que ela tenha uma ruim...) A obra não chega a ser um marco no gênero, como Tomie, mas é de uma minuciosidade e graciosidade imensa.
Nela, vemos a crescente fissuração de uma cidadezinha do interior, por nada menos que espirais. O que se inicia com o pai da protagonista Kirie, acaba se tornando uma espécie de infecção (como em GYO), mas dessa vez psicológica.

As influências de Ito são bem claras nessa obra e o final fecha a história muito bem. As personagens são interessantes e seus medos são reais - podemos também senti-los.
De um modo estranho, as obras de Junji Ito falam sobre o amor - mas Poe também falava disso. Se Tomie é a personificação da lúxuria, Kirie é a ingenuidade em pessoa. Uma personagem comum jogada num mundo estranho. Já as demais personagens, são influenciadas por esse mundo estranho, e jogadas em um mundo comum - elas é quem acabam mudando-o.

Mesmo com seus altos e baixos, Uzumaki é um ótimo mangá, recomendadissimo - assim como todos os outros desta lista.

5 imagens aleatórias:






Talvez discorde dessa ordem, mas venhamos e convenhamos: não há como negar a importância desses três mangás.
E pra você, qual o melhor mangá de Junji Ito?

El Psy Congroo.

Comentários

Postagens mais visitadas