Pular para o conteúdo principal

Destaques

O terror como punchline humorística em Get Out

O cinema tem como principal função apenas entreter, assim como qualquer outra forma de arte. Você pode dar "n" motivos para uma obra ser boa, mas se ela não entretêm, ela não serve para nada. Tendo isso em mente, eu sinto falta de um cinema um pouco mais descompromissado; eu sinto falta de contos e crônicas sinceras, coisas que só vemos em produções independentes que em sua maioria se quer chegam por essas bandas. Portanto, ver um filme como Corra fazendo sucesso tanto entre o público de nicho e o público geral, acabando por ser exibido com certa relevância, chega a emocionar. Não que isso automaticamente torne o longa bom, mas é que a sua proposta é tão simples e ao mesmo tempo tão cheia de nuances e propósitos, que é difícil não torcer para que dê certo. Corra deu certo e não só isso, é um respiro no gênero tanto de terror quanto de comédia. Ele não é inovador, mas a sua exótica combinação de gêneros culmina em uma história bem executada, sem a necessidade de ser megaloma…

(Mini-post) Três filmes de Stanley Kubrick


Stanley Kubrick foi um dos maiores diretores do cinema. Conhecido por seu perfeccionismo, seus filmes são obras primas, não só assistidas mas estudadas pelos amantes da sétima arte. 
Sendo assim,  venho com um top rapidinho sobre ele. É apenas um top 3 simples, com MEUS filmes preferidos do mestre. 

TOP 3 Stanley Kubrick


3° Lugar: O Iluminado


A adaptação do clássico livro de Stephen King ocupa a terceira posição. Lançada em 1980 com o irreverente Jack Nicholson como protagonista, o longa não só adapta como inverte totalmente o conceito do livro original.
Stanley Kubrick ligava às 3 da manhã para encher o saco de Stephen king - no final, o autor não gostou do resultado do longa (tanto que mais tarde foi lançada uma mini série na televisão totalmente fiel ao original) e reprovou o filme. Sorte que Kubrick foi o diretor mais cabeça dura do mundo - resultado: um clássico do cinema. E venhamos e convenhamos, com um final muito melhor.




2° Lugar: Laranja Mecânica


Em termos totalmente pessoais, este filme ocuparia a primeira posição desse Top 3, simplesmente pelo fato de ter sido o primeiro do Stanley Kubrick que eu assisti, sendo portanto o que mais me impactou. Mas em termos gerais, acaba perdendo para a incrível inovação e genialidade do primeiro colocado, que falaremos depois.

Laranja Mecânica é uma ficção cientifica futurística, onde num futuro de ano indeterminado, conhecemos Alexander DeLarge. Alexander é o oposto do "herói" comum, pois não chega na definição de vilão ou anti-herói - é apenas um ser humano. Vivendo numa sociedade violenta, Alex tem uma vida desregrada, cheia de assaltos, brigas e estupros, junto de sua gangue: os droogs. 
O filme de 1971 usa como base o livro de 1962, tendo até mesmo o cuidado de reproduzir a língua "Nadsat" - uma mistura de russo, inglês e gírias.
O pontapé inicial se dá quando Alex é traído por seus companheiros e logo preso. Nisso, ele aceita participar de um programa criado pelo governo, que visa fazer uma "lavagem cerebral" de aversão ao mau comportamento para reduzir a violência na sociedade. 

Em sua época, Laranja Mecânica foi bastante polêmico, chegando a ser questionado e censurado em alguns países (aqui no Brasil estreou com as famosas tarjas pretas). Um filme excepcional, que merece ser visto e revisto - se você o assistiu, duvido que tenha entendido tudo da primeira vez. O final é emblemático, e uma critica clara à sociedade hipócrita se faz.
DeLarge, mesmo sendo um criminoso, nos faz sentir pena e termina o filme como herói. Uma ironia, não?


1° Lugar: 2001 - Uma Odisseia no Espaço


Este ganha pelo conjunto: desde roteiro até efeitos visuais. E isso não é papo de pseudo-intelectual que quer passar por cinéfilo (tá, só um pouquinho).
2001 é chato, devo dizer. É muito lento, sem muitos diálogos ou ações. É preciso paciência para assisti-lo sem bocejar - porém, é uma obra de arte. O efeito sonolento pode vir na primeira assistida, mas já na segunda... Isso não existe, pois quem se deu ao trabalho de colocar o filme para rodar uma segunda vez, já sabe que existe algo há mais; algo de diferente na história.
O longa tem significados em tudo, desde os humanos no espaço (que são como crianças: mal sabem andar e comer) até o final confuso, que deve ser de dificil entendimento para quem viu somente o filme.

Hal 9000 virou um simbolo, e todos os conceitos do filme permanecem atuais - isso se chama genialidade. Sem contar os efeitos especiais, pioneiros para a época e incriveis até hoje.

O roteiro do filme foi criado simultaneamente com o livro tendo como consultor, em relação aos alienigenas, Carl Sagan!
Não me admira as similaridades com o filme Contato, de 1997, este baseado no livro de Sagan.
Sem contar Arthur C. Clarke, braço direito de Kubrick nessa empreitada toda. Os créditos do roteiro são divididos meio a meio entre os dois.

O filme é tão conceitual que não tem nem como descrever o enredo. O plot é apenas: há um monolito, os seres humanos se aventuram no espaço e pronto! O resto só assistindo mesmo.

Stanley Kubrick criou uma obra-prima tanto em roteiro quanto em visual. Um salto gigantesco na importancia da ficção cientifica no cinema. Só os conceitos criados já valem pelo filme todo. Me admira que tenha tido uma recepção tão fria em sua época.


Bom galera, esse foi meu Top 3 filmes preferidos do Stanley Kubrick, espero que tenham gostado. 
Concorda? Discorda? Qual é o seu Top 3, Top 10 ou whatever do mestre?

El Psy Congroo.

Comentários

Postagens mais visitadas