quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

(Mini-post) 1808 e a verdadeira história do Brasil

Recentemente tenho lido 1808, talvez um dos maiores best-sellers brasileiros e que muitos provavelmente já ouviram falar, mas mesmo assim vou dar uma sinopse rápida:
O livro se trata sobre a mudança da Corte Real Portuguesa para o Brasil, em 1808. Assim por diante, o autor vai nos contando os fatos, desde como era a vida brasileira na época, aos esquemas de corrupção. O mais intrigante deste livro é sua pesquisa histórica - altamente bem detalhada, com uma fidelidade e reconstrução dos fatos incrível.

É interessante ler este livro, por que é algo que está diretamente ligado ao que somos atualmente. É estimulante ler cada página, cada descrição, e pensar que se trata dos lugares que você pisa; que você vive - só que há 200 anos atrás. As personagens já são interessantes somente pelo fato de terem existido. Diferentemente do teatro, filmes e etc, aqui o autor não busca representar a história por meio da ficção, muito pelo contrário; é visto que pretende-se dar o devido lugar às ilustres figuras. Então, junte uma época conturbada, com uma ótima pesquisa histórica, e um autor com uma escrita leve: teremos esta deliciosa obra.

Primeiro, é necessário conhecer a história para se fazer o futuro, e 1808 exemplifica bem isso. Vemos a partir da raiz, os diversos problemas que afligem o Brasil mesmo na atualidade: desde maneiras e cultura à desvios de dinheiro e dívidas - e bota dívidas nisso!
A imagem que eu tinha anteriormente de Portugal era de um grande reino que só queria se aproveitar do Brasil e por isso o sugou durante todo o período de colônia. Mas o buraco é mais embaixo: acabei por descobrir que de grande reinado, Portugal tinha só lá em 1500. O país era o mais atrasado dentre todos da Europa, resistente à revoluções, o protestantismo e o pior de tudo: à ciência. O que, claro, causou um desmoronamento de toda uma Dinastia, que era munida de uma corte sinceramente decadente.
Só nestes simples fatos de inicio, vemos por que o Brasil segue até hoje um país atrasado. A vinda da corte foi um refúgio frente a Napoleão, para poder viver livremente suas vidas e assim como em Portugal, se aproveitando do povo - claro, tudo dentro de certas manobras politicas. Então, portanto, Portugal, pode-se dizer, era um reino parasitário quase que totalmente do Brasil.

Durante a história brasileira, nos vemos como um país pós-colônia muito rico e produtivo, mas refém dos estrangeiros. Todas as revoltas acabam de algum jeito saindo pela culatra, até mesmo as bem sucedidas - e tudo isso envolta sempre da educação. Quem pode se aproveita, e quem não pode satiriza.

Ainda não comprei 1808 (comecei a lê-lo despretensiosamente por meios ilícitos hue), mas junto com A Revolução dos Bichos e O Mundos de Sofia, já tem lugar garantido na minha estante. Recomendo fortemente, pois a partir dele podemos entender um pouco dos processos que resultaram no que somos, o que sucede-se no presente e o que será do futuro.

El Psy Congroo. 
Seja o primeiro a comentar.

Postar um comentário