Pular para o conteúdo principal

Destaques

O terror como punchline humorística em Get Out

O cinema tem como principal função apenas entreter, assim como qualquer outra forma de arte. Você pode dar "n" motivos para uma obra ser boa, mas se ela não entretêm, ela não serve para nada. Tendo isso em mente, eu sinto falta de um cinema um pouco mais descompromissado; eu sinto falta de contos e crônicas sinceras, coisas que só vemos em produções independentes que em sua maioria se quer chegam por essas bandas. Portanto, ver um filme como Corra fazendo sucesso tanto entre o público de nicho e o público geral, acabando por ser exibido com certa relevância, chega a emocionar. Não que isso automaticamente torne o longa bom, mas é que a sua proposta é tão simples e ao mesmo tempo tão cheia de nuances e propósitos, que é difícil não torcer para que dê certo. Corra deu certo e não só isso, é um respiro no gênero tanto de terror quanto de comédia. Ele não é inovador, mas a sua exótica combinação de gêneros culmina em uma história bem executada, sem a necessidade de ser megaloma…

[Recomendação] Bakemonogatari


A série Monogatari talvez seja uma das mais estranhas da história dos animes (tá bom, nem tanto) e talvez por isso me tenha sido recomendada. Não sou lá muito fã de enredos nonsense (à não ser comédia), muito menos coisas que buscam a todo momento recorrer à reflexões filosoficas, porém, Bakemono me encantou justamente por sua estranheza e modo de dialogar com o telespectador.
Aqui,esqueça qualquer regra ou coerência que você tenha visto em animes mais comuns - o objetivo principal acaba por soar como uma grande avalanche de criatividade. O que me intriga e me surpreendente nisso tudo, é que o anime muitas vezes é escraxado, caricato e nonsense, mas tem plena consciência e sentido do que mostra.

Araragi é um garoto ainda no ensino médio, que seria normal, se não fosse o fato de ser meio vampiro. É essa condição que lhe faz ser envolto de diversas enrascadas, que coincidentemente sempre estão ligadas a diferentes gostosas garotas. O anime ao todo, se foca na relação que há entre a personagem principal e Senjougahara, uma tsundere peculiar que se apaixona por Araragi, construindo uma estranha relação.
O objetivo de Bakemonogatari é, desconstruindo o próprio nome da série, contar diferentes contos de seres sobrenaturais ou espiritos, que acabam se ligando pelo mesmo ponto em comum. A mitologia japonesa é fortemente enraizada por aqui, formando uma identidade própria, que se entrelaça com a modernidade - acima de tudo, o teor sobrenatural não é o fator principal, apenas um artíficio inteligente para desconstruir e construir personagens, que claro, estão na fase mais confusa da vida: a adolescência. 

Sendo assim, é fácil relacionar Bakemonogatari com nossas vidas, seja você japones ou não, pois tem uma incrivel voz. E por voz, quero dizer a comunicação interna que acaba se formando, coisa dificil que poucas obras em geral fazem. Enquanto se apega às próprias referências e época, o anime se torna atemporal por lidar basicamente com pessoas e seus diferentes problemas durante a vida. Todos iniciam-se por uma conturbação, muitas vezes familiar, que se estende e ganha forma pelo sobrenatural. E enquanto mais personagens são abordadas, Araragi forma uma forte relação com sua primeira discípula.

Mesmo que tenha poucos episódios, o anime decorre de forma densa e rico em conteúdo. A divisão dos "contos" se torna algo maestral, pois assim consegue abordar cada personagem e desenvolvê-la, sem esquecer das principais. Araragi personifica o telespectador no meio desse grande harém, mas diferente de muitos animes, não fica pacato ou sem personalidade própria. O garoto com complexo de messias, se torna um exemplo e até mesmo um modelo para quem assiste. Para os mais leigos pode ficar a ideia de que Araragi é um sortudo por ser um cara comum, no meio de várias garotas - mas ao final, durante sua intensa batalha com Tsubasa Neko, a mensagem é outra: o que ele tem não é uma benção, sim uma maldição. Do mesmo jeito que Jesus tem a satisfação ao ajudar a humanidade, Araragi acaba tendo de sofrer e não somente isso, continuar cuidando das garotas ao seu redor, que ainda que tenham a mesma idade e isso envolva conotações sexuais, acabam se tornando como se fossem suas filhas.

Operando na peculariedade, Bakemono pode estranhar o telespectador, mas entende-se muito bem e sabe criar o próprio universo, sem medo de ser exagerado e dando sentido para tudo. A inteligência e os sentimentos colocados aqui são incriveis, já que são plausiveis frente às diversas obras dramáticas do mesmo tipo - isso não é necessário; o retrato da juventude moderna segue e torna-se atemporal, pois não se trata meramente de uma época qualquer ou espiritos poderosos que possuem pessoas: não; trata-se de seres humanos confusos no estágio mais dificil de suas vidas. 


As relações adolescentes ganham uma nova representação com Bakemonogatari. um anime muito inteligente, que mistura humor, ecchi, sentimentalismo e o sobrenatural, com uma arte fantástica e caricata, que tranformam esse anime num dos mais autorais de todos os tempos. Os pecados humanos são tema principal e mostram que nada é aleatório: tudo tem sua causa e consequência; histórias fantásticas não são diferentes: uma fábula é só um modo de recontar a realidade. Mas, e se a realidade se relacionasse com essas histórias? O resultado está aqui, este incrivel anime que faz um retrato do adolescente moderno, sem se tornar um produto de uma época e muito menos esquecer suas raízes ou referências.


Openings:



Ending:




Episódios: 12
Estúdio: Shaft
Ano: 2009
Nota:  ★ ★ ★ ★ ★ (100/100)



El Psy Congroo.

Comentários

Postagens mais visitadas